Património Cultural Imaterial

maquina-de-escrever.gif

Transcrevemos a seguinte notícia sobre Património Cultural Imaterial:

Candidatura a Património Intangível deve ser multinacional China-Portugal

Juntos pelo Patuá

A candidatura do Patuá a Património Intangível da Humanidade deverá ser apresentada à Unesco através de uma proposta conjunta multinacional da República Popular da China e de Portugal, e poderá ser formalizada num prazo máximo de dois anos.
José Manuel Rodrigues, presidente da Associação para a Promoção da Educação dos Macaenses (IPM) e do Conselho das Comunidades Macaenses, revela que a primeira fase dos trabalhos que deverão culminar na apresentação da candidatura já está concluída e que, apesar de ainda não oficialmente, as autoridades de Pequim e Lisboa já demonstraram apoiar a ideia de esta ser apresentada à Unesco pelos dois países, o que permite acelerar o processo já que não interferirá na cotas da China e de Portugal, que como membros da Unesco apenas podem apresentar uma candidatura de dois em dois anos e têm muitos outros, milhares no caso da RPC, dossiês à espera.
Ao Hoje Macau, José Manuel Rodrigues garante que os dois países “vêem com simpatia esta ideia e este projecto”, mas ressalva que isso não implica que todo o trabalho de preparação do projecto deixe de ser feito por Macau. Até porque a vontade de candidatar o Patuá a Património Intangível surgiu precisamente em Macau, território de origem do dialecto.
A primeira fase – de contactar autoridades públicas e privadas, auscultar a opinião da sociedade, indagar da eventual possibilidade de sucesso de uma candidatura, e a recolha de apoios – está concluída e, no próximo Encontro das Comunidades Macaenses, no final de Novembro, será dado o passo simbólico de início dos trabalhos da segunda fase. A fase que passa precisamente pela elaboração do dossiê que será levado à UNESCO e que será elaborado, por incumbência do Conselho das Comunidades, pela Universidade de Macau. O coordenador do grupo de trabalho que desenvolverá a parte científica de investigação e sustentação da candidatura será, segundo Oliveira Rodrigues, o professor Alan Baxter, director do Departamento de Português da Umac e um dos maiores peritos mundiais em crioulos e autor de vários trabalhos publicados precisamente sobre o Patuá.

Destaque no
Encontro

José Manuel Rodrigues revela que durante o Encontro das Comunidades Macaenses o assunto vai ser alvo de bastante destaque, havendo mesmo um dia destinado a conferências – uma delas precisamente por Alan Baxter – e de apresentação de outras candidaturas, como a da Ópera de Cantão, em representação da China, e do Fado, em representação de Portugal. Para apresentar o dossiê relativo à candidatura do Fado estará em Macau Sara Pereira, directora do Museu do Fado em Lisboa e coordenadora da equipa que apresentou o dossiê correspondente à Unesco.
O Patuá estará, mais uma vez, vivo, através da apresentação de uma peça de teatro, mas num outro dia, e de música.
Para a Unesco, o Património Cultural Intangível compreende as expressões de vida e tradições que comunidades, grupos e indivíduos em todas as partes do mundo recebem dos seus antepassados e passam aos seus descendentes. Apesar de tentar manter um sentido de identidade e continuidade, este património é particularmente vulnerável uma vez que está em constante mutação e multiplicação em termos de portadores. Por esta razão, a comunidade internacional adoptou a Convenção para a Salvaguarda do Património Cultural Intangível em 2003, aceitando candidaturas que, uma vez aprovadas pela Unesco, obrigam as autoridades proponentes a zelar pela sua existência e a eliminar da forma possível os riscos que ameaçam este património de extinção. No mínimo, a encontrar mecanismos que eternizem a sua forma, principalmente através de registos.
Além das gravações, registos e arquivos, a UNESCO considera que uma das formas mais eficazes de preservar o património intangível é garantir que os portadores desse património possam continuar a produzi-lo e a transmiti-lo. Assim, a Organização desenvolve um programa que estimula os países a criarem um sistema permanente de identificação de pessoas (artistas, artesãos etc.) que encarnam, no grau máximo, as habilidades e técnicas necessárias para a manifestação de certos aspectos da vida cultural de um povo e a manutenção do seu património cultural imaterial e material.
Entre as dezenas de candidaturas já aceites e promulgadas pela Unesco como Património Mundial Intangível encontram-se o Carnaval de Binche (Bélgica), o Samba de Roda de Recôncavo da Baía (Brasil), o Ballet Real do Camboja, os cantos mongóis Urtiin Duu (proposta multinacional da China e Mongólia), a Ópera Kun (China), O Muqam Uygur do Xinjiang (China), o Teatro de Marionetas Wayang (Indonésia), o Teatro de Marionetas siciliano Opera dei Puppi (Itália).

João Costeira Varela

Fonte: http://www.hojemacau.com/
24-10-2007

Publicités

Étiquettes : , ,

6 Réponses to “Património Cultural Imaterial”

  1. isabel Victor Says:

    Que interessante, Ana carvalho ! Abraço … até breve

  2. Jorge Says:

    É uma boa iniciativa, mas acho que peca por ser tardia. O crioulo macaense, e outros de raiz portuguesa, estão em vias de desaparecer, se é que não desapareceram já.

    Como curiosidade aqui deixo um pequeno poema em « Doci Papiaçam di Macau »:

    « Língu di gente antigo di Macau
    Lô disparecê tamên. Qui saiám!
    Nga dia, mas quanto áno,
    Quiança lô priguntá co pai-mai
    Qui cuza sä afinal
    Dóci papiaçam di Macau? »

    link: http://pt.wikipedia.org/wiki/Patu%C3%A1_macaense

    • ana sofia carvalho Says:

      Caro Jorge,
      Seria possível dizer-me quem é o autor deste poema?
      Obrigada pela atencão.
      Cordiais cumprimentos
      Ana Sofia

  3. emilia nogueiro Says:

    fabuloso o seu blog e muitissimo util!
    acho interessante este tipo de registo de patimonio imaterial, mas que metodologias usar para o poder registar? vi q aconselha diversas obras sobre o tema, acaso alguma se detém nas regras e metodologias de recolha? obrigado!

  4. emilia nogueiro Says:

    por lapso esquecime de referir q me atrevi a pedir-lhe ajuda sobre patrimonio imaterial por sujestão do blog de Alexandre Matos… a mim continua-me a parecer um bocadinho intromissão comentar algo de alguém q não conhecemos… daí a minha necessidade em m apresentar ou pelo menos apresentar a referencia q m trouxe até sí…

  5. Ana Carvalho Says:

    Cara Emilia,
    Seja bem-vinda a este espaço.
    E bem-vinda à blogoesfera com o seu blogue « História e Arte »!

    Relativamente ao Património Cultural Imaterial e bibliografia sobre as metodologias e formas de registar aconselho-a a consultar o site da UNESCO para o Património Cultural Imaterial (http://www.unesco.org/culture/ich/), onde pode encontrar documentação sobre boas práticas neste contexto. Tem também no blogue, no menu lateral um conjunto de links que poderão ajudá-la a encontrar a informação.
    Espero ter ajudado. E esteja à vontade para contactar-nos sempre que quiser.
    Os melhores cumprimentos,
    Ana Carvalho

Laisser un commentaire

Entrez vos coordonnées ci-dessous ou cliquez sur une icône pour vous connecter:

Logo WordPress.com

Vous commentez à l'aide de votre compte WordPress.com. Déconnexion / Changer )

Image Twitter

Vous commentez à l'aide de votre compte Twitter. Déconnexion / Changer )

Photo Facebook

Vous commentez à l'aide de votre compte Facebook. Déconnexion / Changer )

Photo Google+

Vous commentez à l'aide de votre compte Google+. Déconnexion / Changer )

Connexion à %s


%d blogueurs aiment cette page :