Património imaterial em Portugal

Auditório do Museu Nacional de Etnologia
31 Jan. 2011
© Ana Carvalho

No passado dia 31 de Janeiro de 2011 teve lugar o colóquio “Património Imaterial em Portugal: dos enquadramentos globais às actuações no terreno”, que divulgámos num “post” anterior. Sobre este encontro ficam algumas notas.

Paulo Ferreira da Costa, responsável pelo Departamento de Património Imaterial do Instituto dos Museus e da Conservação (IMC), centrou-se em dois aspectos. O primeiro teve a ver com a reformulação do programa matriz, agora Matriz 3.0, de modo a permitir a gestão integrada de todos os tipos de património, incluindo o PCI. Ao que tudo indica esta base de dados será apresentada publicamente a breve trecho. O segundo aspecto prende-se com a realização de inquéritos sobre o PCI aos museus da Rede Portuguesa de Museus (RPM), autarquias, centros de investigação, etc., cujos resultados serão apresentados, segundo Paulo Costa, ainda em 2011 e partir dos quais serão definidas as prioridades de trabalho.

Do discurso de Joaquim Pais de Brito, director do Museu Nacional de Etnologia, a grande novidade foi a criação de uma exposição permanente no museu, já que até aqui o museu apenas funcionava com base em exposições temporárias. A exigência financeira subjacente à realização de exposições temporárias terá ditado esta mudança estratégica. Todavia, esta nova exposição “permanente” será constituída por vários núcleos, que nalguns casos permitirão a alternância de peças em exposição. Segundo Pais de Brito, nesta futura exposição haverá lugar para contar a história do museu e para mais “7 micro museus”. A abertura prevê-se para a Primavera.

Sara Pereira, directora do Museu do Fado (http://www.museudofado.pt/) fez uma retrospectiva do trabalho realizado desde 2005 no âmbito da candidatura do fado a património imaterial da UNESCO pela equipa renuída pela Câmara Municipal de Lisboa. Para além disso, elencou quais serão as principais linhas de trabalho no âmbito do plano de salvaguarda definido para o Fado. Alguma dessa informação poderá ser encontrada no site da candidatura recentemente criado:
http://www.candidaturadofado.com/

Dália Paulo, na qualidade de directora da Direcção Regional de Cultura do Algarve fez um balanço daquilo que tem sido feito no Algarve no âmbito do PCI, fazendo uma selecção de alguns projectos. Sublinhou ainda o papel da Direcção Regional de Cultura como mediador e facilitador junto dos museus e outras instituições que trabalham com o PCI. No âmbito do trabalho realizado pela Rede de Museus do Algarve (RMA), Dália Paulo destacou algumas das actividades desenvolvidas em 2010. Em 2011, o PCI foi assumido como uma área prioritária pela RMA, estando previstos cursos neste domínio, um inquérito sobre PCI aos acervos dos museus da rede e a criação de um fórum na internet para discussão sobre este tema (http://www.voy.com/224680/).

Iniciativas como estas são importantes, pois conhecer quais são as práticas neste domínio tendem a inspirar outros. De qualquer forma, parece ter ficado de fora o espaço para debate, também muito importante para transpor os limites das apresentações formais e de carácter mais informativo.

Publicités

Laisser un commentaire

Entrez vos coordonnées ci-dessous ou cliquez sur une icône pour vous connecter:

Logo WordPress.com

Vous commentez à l'aide de votre compte WordPress.com. Déconnexion / Changer )

Image Twitter

Vous commentez à l'aide de votre compte Twitter. Déconnexion / Changer )

Photo Facebook

Vous commentez à l'aide de votre compte Facebook. Déconnexion / Changer )

Photo Google+

Vous commentez à l'aide de votre compte Google+. Déconnexion / Changer )

Connexion à %s


%d blogueurs aiment cette page :