Archive for the ‘Museums’ Category

No Mundo dos Museus esteve por lá…

avril 20, 2009


Musée International de la Reforme
Março 2009
Genebra, Suiça
©Ana Carvalho

Em 2007 este museu recebeu o prémio do Museu Conselho da Europa.

Conheça mais aqui: https://www.musee-reforme.ch/

Call for Papers: UMAC Conference 2008 – ‘University Museums and the Community’

janvier 31, 2008

UMAC’s 8th International Conference, 16-20 September 2008, University of Manchester, UK
(http://www.meeting.co.uk/confercare/umac2008)

The theme of the conference is ‘University Museums and the Community’.

INTRODUCTION

For much of their history, universities were elite learning environments, sheltered from the outside world by their ‘ivory towers’, and taking their model from the monastery. Since at least the 1960s, though, universities have been playing an increasingly important role in their local and regional communities. One of their early roles was to form extra-mural departments which offered courses to members of the public. More recently, universities have begun to recognize their cultural, economic and social role within their communities.
Universities are often major employers; some historic universities play a major role in the tourist economy; and some make a significant contribution through spin-off companies formed as a way of bringing commercial applications to university research.

In addition, one of the major ways in which universities make a contribution to their communities is through their cultural provision.
Many universities operate theatres, concert venues, parks, botanic gardens, and museums and galleries. Increasingly, university museums and galleries have become a vital link between universities and their communities. They are important sources of learning outside the classroom for schools and colleges, as well as places of informal learning for visitors of all kinds; they are vehicles for public engagement with academic research; and increasingly they are becoming places where the university can listen to the community and its views on the issues studied by academics.

The theme of UMAC’s 8th International Conference therefore focuses on one of the most pressing issues today for university museums across the globe, which is how they can best act as two-way bridges between the world of the university and the many and varied communities, outside the university, within it in the form of students and staff using the museums in their leisure time, and the global ‘virtual’ community of the Internet.

UMAC members encompass museums of all academic disciplines; each of them will be affected by these transitions in a different way and each will choose a different approach and strategy to secure the museum’s mission.

UMAC’s Conference Board 2008 invites participants to report on how they – each in their specific and therefore unique situation – respond to these challenges and to share experiences and best practices.

CALL FOR PAPERS

Proposals are invited for contributions to the conference, which will be divided into the following five themes, each to be covered in half a day:

1 Public engagement with academic research

2 University museums and the internet community

3 The role of the university museum in community development (outreach, tourism, economic development, attracting diverse audiences etc)

4 The role of the university museum in formal and informal learning (i.e. schools, families)

5 Marketing to the university audience as leisure users (i.e. attracting academics and students visiting outside formal teaching and research programmes)

Format of contributions

We would like to ensure that the conference has a variety of formats. We suggest that we have a keynote speaker on the morning of each day. The five conference themes might then be dealt with in the following ways:

· A series of conventional papers of 10-15 minutes, in the main hall

· Workshop sessions with main speaker (10 mins) and roundtable of 8 people speaking for 5 minutes each, with facilitator managing the discussion.

· Panel debate in the main hall: up to six people talking for five minutes each on a topic (e.g. how to market to the internal audience), with a facilitator who then extends the discussion to the whole audience.

PLEASE NOTE: There will only be a small number of conventional papers, and a larger number of workshop sessions and panel debates. Please bear this in mind when submitting your proposal.

How to submit a proposal

Please submit your proposal electronically to the Chair of the Academic Board, Sally MacDonald, at:

Sally.macdonald@ucl.ac.uk

Your proposal should include the following:

· Your name, your title, your organisation and your contact details (email, telephone, address)

· Title of your intervention

· Which of the five themes your intervention relates to

· Abstract (up to 200 words) giving details of what you wish to say

· Indication of whether you prefer it to be a conventional paper, part of a roundtable workshop, part of a panel debate, or whether you do not mind.

PLEASE NOTE: We very much encourage participants to work up co-ordinated proposals involving several people.

PLEASE ALSO NOTE: We do not intend to have posters at this conference. Instead we encourage participation in workshop and panel discussions.

Deadline

The call for papers closes on 31 March 2008, when they will be reviewed by the Academic Board. The Board intends to let proposers know their decision within six weeks.

Please address further enquiries to Sally MacDonald at the email address above.

Further information:
http://www.meeting.co.uk/confercare/umac2008

Sugestão de Leitura: « Museu Marítimo de Ílhavo: Museu com História »

janvier 21, 2008

livro-museu-maritimo-de-ilhavo-museu-com-historia.jpg

Museu Marítimo de Ílhavo: Museu com História
Autor (es): Álvaro Garrido*, Ângelo Lebre
Edição: 2007
Descrição Física: 242 p.

Nota: Esta publicação pode ser adquirida na loja online do Museu Marítimo de Ílhavo ou na loja do museu.

Sobre o livro:

« Escrever uma história do Museu Marítimo de Ílhavo e publicá-la no ano em que a instituição comemora os seus setenta anos de vida significa responder a um duplo apelo – a uma necessidade e a uma ambição », aponta Álvaro Garrido, director do MMI, acrescentando que « a necessidade decorre das vantagens internas em dispor de uma memória criteriosa de uma instituição cultural singular. A ambição consiste em fazer deste livro um instrumento de apoio à gestão do Museu e em partilhá-lo com a sua crescente comunidade de públicos ». (in Moliceiro, 17-10-2007)

Sobre um dos autores:

* Álvaro Francisco Rodrigues Garrido. Licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, Mestre em História Contemporânea de Portugal pela mesma Faculdade e Doutorado em Economia (especialidade de Estruturas Sociais da Economia e História Económica) pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra. Iniciou a actividade docente no Ensino Superior, em 1995, na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, onde é hoje professor auxiliar e coordenador do grupo de História Económica. Na FEUC leccionou e lecciona as disciplinas de Economia e Sociedade Portuguesa, História Económica e Social, História da Política Externa Portuguesa, História das Relações Internacionais I e II e Sociologia Histórica. É autor de vários livros e artigos em revistas científicas, e participou em várias obras científicas e dicionários. Foi o vencedor do Prémio de História Contemporânea Victor de Sá, edição de 1995, com o trabalho O Movimento Associativo Estudantil nos inícios de Sessenta, que distingue o melhor trabalho académico nacional de jovens historiadores e do Prémio de História Alberto Sampaio, 2004, com o trabalho Abastecimentos e Poder no Salazarismo – O Bacalhau Corporativo (1934-1967), que distingue a melhor dissertação em História Contemporânea, a nível nacional. Desde 6 de Janeiro de 2003 que é o Director do Museu Marítimo de Ílhavo. (in http://www.aph.pt/)

Museu do Douro e Museu do Côa adiados?

janvier 17, 2008

maquina-de-escrever.gif

« A ministra da Cultura admite estar com dificuldades financeiras para cumprir a promessa de abrir três novos museus este ano. Por isso, dois só deverão estar funcionais em 2009. (…)

[No entanto] Está garantida a abertura do Museu do Mar da Língua […]”, afirma a ministra da Cultura. »

Para ver o resto da notíca clique aqui.

Sugestão de Leitura: « Museu Marítimo de Ílhavo »

janvier 17, 2008

livro-museu-maritimo-de-ilhavo.jpg

Museu Marítimo de Ílhavo – The Maritime Museum of Ílhavo
Edição: 2003, Caleidoscópio
Descrição Física: 123 p.
ISBN: 9728801092

Resumo: O Museu Marítimo de Ílhavo existe desde 1937. Este livro permite acompanhar todo o processo de demolições e construção do novo edifício, pelas mãos dos arquitectos Nuno Mateus e José Mateus. Textos de Aníbal Paião, Jorge Figueira e Álvaro Garrido. (in site Byblos)

O livro pode ser adquirido aqui.

Carlos Bunga no New Museum of Contemporary art, Nova Iorque

janvier 16, 2008

new-museum-contemporary-art.jpg

New Museum of Contemporary Art,
Nova Iorque, EUA
©don_schreiner

Carlos Bunga é um dos artistas plásticos portugueses mais promissores no panorama internacional. Destacamos aqui a sua participação (único português presente) na exposição colectiva de abertura do novo edifício do New Museum of Contemporary Art, em NY (Estados Unidos). A exposição intitula-se « Unmonumental: The Object in the 21st Century ».

“Unmonumental: The Object in the 21st Century » is the first exhibition in the « Unmonumental » cycle, and explores the reinvention of sculptural assemblage. Using found, fragmented, and discarded materials, the works of the artists on view make a case for modesty, informality, and improvisation.
The exhibition includes more than one hundred objects by thirty artists who represent a wide range of backgrounds and artistic strategies.
Mais…

Carlos Bunga
Born 1976, Oporto, Portugal/Lives and works in Lisbon, Portugal

Carlos Bunga is best known for his large-scale cardboard and packing tape installations that are painted and then cut away to reveal ruins of his particular form of architecture. Bunga’s more discrete sculptures, fashioned out of the same materials, intimately express the temporal aspects of place in a globalized context. Bunga’s use of color and roughly cut forms recall the decayed insides of Gordon Matta-Clark’s architectural cuttings. Like Matta-Clark, Bunga applies abstraction to architecture and living environments.
Bunga received a BFA at Escola Superior de Artes e Design, de Caldas da Rainha, Portugal (2003), and participated in a workshop in performance with Rebecca Schneider, Fundação Gulbenkian, Portugal (2003).
He also participated at Helsinki International Artist-in-Residence Programme (2005). Immediately
following his residency at the International Studio & Curatorial Program, New York (2006), Bunga received the 3rd International Painting Prize from the Castellón County Council, Spain. Recent solo exhibitions have been organized by Milton Keynes Gallery, Milton Keynes, United Kingdom (2006, catalogue), and Elba Benitez Gallery, Madrid (2005).
Bunga’s work has been featured in group exhibitions including Future Nomad, Vox Populi Gallery, Philadelphia (2007); En Voyage, Le Plateau/FRAC Ile-de-France, Paris (2006, catalogue); Farsites: Urban Crisis and Domestic Symptoms in Recent Contemporary Art (part of inSite_05), San Diego Museum of Art (2005, catalogue); Things Fall Apart All Over Again, Artists Space, New York, in conjunction with the Center for Curatorial Studies, Bard College (2005); Manifesta 5, San Sebastian, Spain (2004); and Prémio EDP Novos Artistas, Serralves Museum, Porto, Portugal (2003).

(in site http://www.newmuseum.org/)

Para onde vai o museu de arte contemporânea?

janvier 7, 2008

conf-museus-do-sec-21.jpg

Para onde vai o museu de arte contemporânea?
Culturgest, 3 Janeiro 2008
©Ana Carvalho

Teve lugar a primeira sessão do ciclo de conversas em torno da exposição « Museus do Século XXI – Conceitos, projectos, edifícios ». « Para onde vai o museu de arte contemporânea? » foi o mote da conversa da passada quinta-feira e que contou com a presença de Raquel Henriques da Silva*, João Pinharanda* e Ricardo Nicolau* (moderador).

Como era esperado, a avaliar pelos convidados, esta conversa pontuou, na nossa opinião pela pertinência e qualidade das intervenções. Qual a relação da arte com a arquitectura? Qual o papel do coleccionador dos nossos tempos? Arte, mercado e museus, que relação?
Das colecções aos museus. O caso concreto do MACE – Museu de Arte Contemporânea de Elvas. Contexto e expectativas para o futuro.
O nascimento dos museus de arte contemporânea no ínicio do séc. XX e sua evolução. O questionamento dos museus como locais de legitimação, locais de fabricação, o « museu laboratório », etc. Também se chamou a atenção para o papel dos museus como potenciais instumentos para a regeneração do tecido urbano e como motor do desenvolvimento ao nível do turismo.
A discusão em torno da arquitectura de museus não podia deixar de mencionar o fenómeno Bilbao. O museu Guggenheim Bilbao alimenta acesas discussões como foi evidente ao longo desta conversa, uns gostam outros detestam. De qualquer maneira faz-nos pensar nessa característica que os museus têm que é da sua constante capacidade de mutação e transformação.
A conversa acabou por disparar em muitas direcções, todas elas actuais, como a questão do papel dos directores de museu e a questão dos concursos públicos, natureza e carácter dos protocolos entre coleccionadores e museus, a existência ou não de políticas culturais, linhas programáticas, o papel do marketing, serviços educativos, etc.

Destacamos como sugestão de leitura – « What Makes a Great Exhibition? », uma das referências bibliográficas, entre outras, mencionadas no decorrer da conversa:

what-makes-a-great-exhibition.jpg

What Makes a Great Exhibition?
Autor: Paula Marincola (Edição)
Publicação: University of the Arts, Philadelphia Exhibitions Initiative, US
2007-07-21, Inglês
Descrição Física: 184 p.
ISBN-10: 0970834616
ISBN-13: 978-0970834614

Pode adquirir este livro nos seguintes endreços:
http://www.amazon.ca/
http://www.bookdepository.co.uk/

————————————————————————————
*Raquel Henriques da Silva é Professora na FCSH/UNL, foi directora do Museu Chiado (1994-97) e do Instituto Português de Museus (1997-2002). Integrou a partir de 2000, o Conselho de Administração da Fundação de Serralves, em representação do Ministro da Cultura.
*João Pinharanda é o actual director do Museu de Arte Contemporânea de Elvas – MACE. Historiador de arte, crítico de arte, comissariou inúmeras exposições, colabora com a Fundação EDP.
*Ricardo Nicolau (Tomar, 1976) é crítico de arte e comissário de exposições. Tem escrito regularmente para catálogos de artistas e integrado júris de prémios e residências, em Portugal e no estrangeiro. Entre 2003 e 2005 foi editor e director da publicação sobre arte contemporânea Pangloss. Tem colaborado com várias revistas de arte portuguesas e internacionais, designadamente a Contemporary e a W-art. Actualmente é assessor do director do Museu de Arte Contemporânea de Serralves.
——————————————————————————————-
Parabéns à Culturgest por esta iniciativa!

No Paço Ducal Vila Viçosa acontece…

octobre 26, 2007

paco-ducal-vica-vicosa.jpg

Paço Ducal de Vila Viçosa
©Fundação da Casa de Bragança

Hoje (26 de Outubro), pelas 21 horas, no Paço Ducal de Vila Viçosa acontece…um concerto com o Quarteto Odeon, composto pelos seguintes elementos: Adrian Florescu (violino), Laurentiu Ivan-Coca (violino), Ceciliu Isfan (Viola) e Peter Flanagan (Violoncelo).

Irão ser executadas obras da autoria de Rimsky- Korsakov, Tchaikovsky, Josef Suk, Camille Saint-Saens, Carl Maria von Weber, S. Joplin, A. Arensky, C. Gounod e Angel Villoldo.

O concerto será realizado na Capela do Paço Ducal de Vila Viçosa, com entrada livre.

Esta iniciativa enquadra-se na temporada de concertos de música erudita planificada pelo Museu-Biblioteca da Fundação da Casa de Bragança até final do ano de 2007.

Mais informações:
http://www.fcbraganca.pt/concertos/fcb.htm

No Museu de Arte Contemporânea de Elvas…

septembre 27, 2007

« No Mundo dos Museus » foi até Elvas conhecer um dos mais recentes museus de arte portuguesa contemporânea.

A visita ao MACE é imprescindível, mas não prescinda da visita guiada que certamente enriquecerá os momentos ali passados.

Mais informações: http://www.cm-elvas.pt/MACE/

Eis algumas impressões da nossa visita:

©Ana Carvalho, Setembro 2007

Museu de Arte Contemporânea de Elvas é inaugurado hoje

juillet 6, 2007

elvas-copia.jpg

É hoje inaugurado o MACE – Museu de Arte Contemporânea de Elvas com a colecção Cachola pelas 19h00. O evento conta com a presença da Senhora Ministra da Cultura, Profª Doutora Isabel Pires de Lima.

As expectativas são enormes e uma visita ao mais recente espaço museológico do Alentejo impõe-se…

Museu Colecçao Berardo

juillet 2, 2007

Museu Colecçao Berardo /Berardo Collection Museum

Eis algumas imagens do recém inaugurado Museu Berardo. Polémicas à parte, as expectativas são muito elevadas e esperamos que este museu saiba construir um caminho profícuo em torno da educação de públicos e no incentivo a um entendimento mais próximo dos portugueses à arte contemporânea.

http://www.museuberardo.com/
http://www.berardocollection.com/

coleccao-berardo4.jpg

coleccao-berardo2.jpg

museu-berardo3.jpg

museu-berardo1.jpg

museu-berardo.jpg

©Ana Carvalho

Pallant House Gallery ganhou « Gulbenkian Prize for Museum of the year » 2007

juin 11, 2007

The Pallant House Gallery

Pallant House Gallery foi o museu vencedor das 100 mil libras do « Gulbenkian Prize for Museums and Galleries » da edição de 2007. Este museu localiza-se na cidade histórica de Chichester.

Factores como « excelência e sensibilidade estética », e pioneirismo ambiental, já que foi o primeiro museu no Reino Unido a instalar um sistema de aquecimento e arrefecimento geotermal, o que fez com que houvesse uma redução significativa das emissões de carbono para quase metade.

O « Gulbenkian Prize for Museums and Galleries » é considerado no Reino Unido como um dos maiores prémios atribuídos anualmente. O objectivo principal é premiar um projecto que conjugue qualidade, inovação e capacidade de mobilizar públicos.

Fonte: Newsletter Junho 2007 Número 84, Fundação Calouste Gulbenkian

« Conversas de final de tarde » – Museu da Presidência da República

mai 10, 2007

palacio-de-belem.jpg

Conversas de final de tarde…

Destacamos para o dia 18 de Maio, a seguinte:

« O impacto da visita da Rainha Isabel II na comunicação social ».
Por Dr. António Valdemar, Classe de Letras – Academia de ciências, Vice-Presidente da Academia Nacional de Belas Artes

Sala Oval – Museu da Presidência da República – 18h00

A entrada é livre

Para conhecer o programa, basta clicar:

Conversas de final de tarde

Festa dos Museus: Feira de Réplicas no Museu Nacional de Arqueologia

mai 9, 2007

entrada-museu-de-arqueologia.jpg

No âmbito da Festa dos Museus, que terá lugar entre 12 e 20 de Maio próximo, o Museu Nacional de Arqueologia – MNA vai organizar pela segunda vez a Feira de Réplicas e Material didáctico de Arqueologia nos dias 12 e 13 (Sábado e Domingo).

O evento tem a colaboração da Associação de Arqueologia e Protecção do Património da Amadora – ARQA e da Rede Portuguesa de Museus – RPM.

A primeira sessão deste certame teve grande êxito e permitiu conhecer reciprocamente muitos produtos de interesse para a arqueologia, em todas as suas vertentes e valências.

Estão já inscritos para participar diversas entidades (associações, empresas, artesãos e profissionais individuais), mas ainda existe lugar para mais alguns. É cedido espaço coberto (em tendas), sem custo de inscrição ou aluguer.

Para mais informações contactar:
Serviço Educativo e Extensão Cultural do MNA
Drs. Maria José Albuquerque ou Mário Antas
Tel.: 21362000
Fax. 213620016
e-mail: seducativo@mnarqueologia-ipmuseus.pt

Pode ainda consultar o programa Festa dos Museus do Museu Nacional de Arqueologia

Museu de Arte Sacra do Funchal lança « site »

mai 4, 2007

museu-de-arte-sacra-do-funchal.jpg

No passado mês de Abril o Museu de Arte Sacra do Funchal lançou o seu « site ». Saudamos esta iniciativa, salientando a importância cada vez mais maior dos museus em reforçarem a sua presença na internet. A comunicação é um dos vectores essencias na estratégia de um museu.

O « site » apresenta o museu nas suas diversas valências, as colecções e os serviços que disponibiliza. Note-se, ainda, a introdução de um pequeno video, que apresenta a « Arte Flamenga na Madeira » e que de forma muito positiva utiliza as novas tecnologias para dar a conhecer o seu património.