Posts Tagged ‘Universidade de Évora’

Colóquio « Cabinets de curiosités, collections techniques et musées d’arts et métiers: origines, mutations et usages des Lumières à la Seconde Guerre mondiale »

septembre 26, 2011

Musée des Arts et Métiers, Paris
Foto de Ana Carvalho, 2011

Merece aqui uma nota especial a realização do colóquio « Cabinets de curiosités, collections techniques et musées d’arts et métiers: origines, mutations et usages des Lumières à la Seconde Guerre mondiale », que se realiza em Paris entre 29 Setembro e 1 de Outubro 2011. Este encontro é organizado pelo Musée des Arts et Métiers (Cnam), Centre Maurice Halbwachs (EHESS) e pela Universidade de Évora(CIDEHUS).

Os organizadores são: Ana Cardoso de Matos, Marie-Sophie Corcy
Christiane Demeulenaere-Douyère e Irina Gouzévitch

Programa

Resumos das comunicações

Notas biográficas

Relatório Museologia: « Museu de Arte Contemporânea de Elvas (MACE): Percurso Museológico »

juillet 8, 2011

Defesa relatório, Membros do júri, Universidade de Évora
Foto Ana Carvalho, 5 Julho 2011

Museu de Arte Contemporânea de Elvas (MACE): Percurso Museológico
Autora: Margarida Pais Ribeiro
Orientação: Filipe Themudo Barata e João Pinharanda
Relatório apresentado à Universidade de Évora para obtenção do grau de Mestre em Museologia (Bolonha)
Ano: 2011. Tese defendida a 5 de Julho de 2011
Nota: Júri constituído por Paulo Alexandre Rodrigues Simões Rodrigues (Presidente), Camões Gouveia (arguente), Sandra Leandro, Filipe Themudo Barata (orientador) e João Pinharanda (co-orientador).

Resumo:

O Museu de Arte Contemporânea de Elvas (MACE) faz parte de um recente grupo de museus de arte contemporânea, bem como de centros de arte moderna surgidos nos últimos anos em Portugal, procurando afirmarem-se, quer no tecido cultural das cidades onde se integram, quer no país em geral, com programas museológicos de qualidade. Inaugurado em 2007, o MACE afigura-se, tanto no contexto local como nacional com uma proposta positiva e inovadora, em torno do qual existem muitas expectativas. Trata-se, pois, do momento oportuno para reflectir sobre os primeiros anos da sua actividade. Entre as intenções e a realidade, qual é o estado da arte? Tendo como ponto de partida o trabalho que desenvolvi durante três anos no MACE, o qual acompanhou de perto, não apenas a sua implementação, mas também os primeiros anos de vida do museu, este trabalho pretende não só contar como surgiu este espaço museológico, mas também fazer uma análise crítica do trabalho até hoje realizado, reflectindo sobre o presente mas lançando também pistas de trabalho para o futuro.

Livro: Os viajantes e o ‘livro dos museus’

décembre 9, 2010

Os viajantes e o ‘livro dos museus’
Autor: João Brigola
Edição: Porto, Dafne Editora, 2010.
ISBN: 978-989-8217-10-3.
p.v.p. 17,17 euros (www.dafne.com.pt)

É hoje (9 de Dezembro) o lançamento do livro Os viajantes e o ‘livro dos museus’, da autoria de João Brigola. O livro será apresentado por Maria Luísa Cabral na Biblioteca Pública de Évora, pelas 17h30. Esta é uma publicação da Dafne Editora e do Centro de História de Arte e Investigação Artística (CHAIA) da Universidade de Évora.

Sobre o livro:

Ao longo dos séculos XVIII e XIX, numerosos viajantes estrangeiros relataram as suas visitas às colecções e museus de Portugal. Este livro recolhe e sistematiza esses textos, escritos quase sempre em língua inglesa, francesa ou castelhana, por homens que se ocupavam com as artes da guerra, a escrita, a diplomacia ou a erudição naturalista.

Esta antologia ajuda a fixar, com maior nitidez, a ideia que temos vindo a construir dos primeiros museus portugueses, caracterizando a integração dos jardins e dos edifícios na paisagem urbana, a dimensão das áreas de exposição, as propriedades físicas dos espécimes, os métodos de classificação e de exibição, a importância das colecções e sua função didáctica, os discursos científicos adoptados, a competência e o desempenho profissional dos responsáveis, a ligação entre o funcionamento dos museus e a situação política do país.

Através dos olhares, muitas vezes excêntricos, quase sempre preconceituosos e cruéis, por vezes judiciosos e certeiros, obtém-se um retrato da cultura setecentista e oitocentista que, dada a natureza multidisciplinar dos textos – da literatura, da história, da crítica de arte, da ciência e da antropologia – se oferece à descoberta da paisagem museológica portuguesa.

Sobre o autor:

João Carlos Pires Brigola (Lisboa, 1955). Licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (1977) e doutorado em História/Museologia pela Universidade de Évora (2001). Autor do livro Colecções, gabinetes e museus em Portugal no séc. XVIII (FCG-FCT,2003). É professor na Universidade de Évora e na Universidade Nova de Lisboa e Director do Instituto Português de Museus

………

Mais informações:
http://www.dafne.com.pt
Dafne Editora / André Tavares / dafne@dafne.com.pt / 222005579

Recriação virtual da Lisboa destruída pelo terramoto de 1755, através da plataforma virtual Second Life®

novembre 24, 2010

Trata-se de um projecto inovador: a recriação virtual da Lisboa destruída pelo terramoto de 1755, através da plataforma virtual Second Life®.

O projecto está a ser desenvolvido pelo Centro de História da Arte e Investigação Artística (CHAIA), da Universidade de Évora, em colaboração com a empresa Beta Technologies e o King’s Visualisation Lab – King’s College London.

O trabalho realizado até à data poderá ser visitado em http://lisbon-pre-1755-earthquake.org/

O ionline publica uma notícia sobre este projecto, incluindo comentários de especialistas nacionais e internacionais:
http://www.ionline.pt/

Tese: « Mário Saa (1893-1971): Um intelectual português na sociedade do século XX »

octobre 6, 2010

Como vem sendo hábito publicamos, sempre que temos conhecimento, as teses que se vão realizando no âmbito dos museus e da museologia. A tese que hoje fazemos referência não se inscreve, todavia, na museologia, mas tendo Mario Saa sido um coleccionador, cujo espólio justificou inclusivamente a criação de uma fundação que inclui funções museológicas, resolvemos fazer a divulgação.

Mário Saa (1893-1971): Um intelectual português na sociedade do século XX
Autora: Elisabete de Jesus dos Santos Pereira
Orientação: Prof.ª Doutora Maria de Fátima Nunes
Dissertação apresentada à Universidade de Évora no âmbito do Curso de Mestrado em Estudos Históricos Europeus.
Obs.: Do júri fazia parte o Prof. Doutor Helder Adegar Fonseca (presidente), a Prof.ª Doutora Maria de Fátima Nunes Ferreira (orientadora) e o Prof. Doutor Fernando Martins (arguente). A defesa da tese realizou-se a 15 de Julho de 2010. Nota final: 18 valores

Resumo: Mário Saa (1893-1971) – um percurso de índole nacionalista, onde se cruzam a literatura, a ciência, a filosofia e a história. Pretende-se revelar o trajecto de um intelectual português da direita conservadora do início do século XX, numa perspectiva transnacional.

Aborda-se o seu percurso intelectual, analisando os reflexos da identidade europeia na sua produção cultural. Através do seu legado depositado na Fundação Arquivo Paes Teles, no Ervedal, uma freguesia do concelho de Avis, acedemos ao tempo da sua formação académica e às temáticas que abordou na sua vasta e diferenciada produção cultural.

Descobrem-se os seus círculos de sociabilidade literária e intelectual, e entende-se a construção da sua consagração através de um conjunto de dedicatórias gravadas nos livros da sua biblioteca. Um legado que permite aceder à sua «modernidade» decorrente da interacção com a Europa intelectual e do seu contexto de vivências variadas.

Dominique Poulout na Universidade de Évora, 12-13 de Julho de 2010

juillet 9, 2010

Dominique Poulot (Université Paris 1 Panthéon-Sorbonne) estará em Portugal, mais concretamente na Universidade de Évora, nos próximos dias 12 e 13 de Julho. A sua visita insere-se no contexto da sua ligação com o CEHFCi – Centro de Estudos de História e Filosofia da Ciência, uma vez que faz parte do « Scientific Board Advice » do centro. Durante estes dois dias irão ter lugar algumas actividades de carácter interno, mas haverá uma sessão aberta a todos no dia 12, pelas 14h30, na sala 124 (a confirmar) do Colégio do Espírito Santo.

Sobre Dominique Poulot:

Dominique Poulot est un historien français, spécialisé dans l’histoire du patrimoine et des musées. Il est professeur des universités à l’Université Paris 1 Panthéon-Sorbonne.

Dominique Poulot, agrégé d’histoire (1978), ancien membre de l’Institut Universitaire de France (1992-1997), a été professeur aux universités Pierre Mendès France (Grenoble II) et François Rabelais (Tours) avant de rejoindre l’Université de Paris I Panthéon-Sorbonne. Il consacre ses recherches à l’histoire de l’institution de la culture, notamment aux phénomènes de patrimonialisation. Jean Monnet Fellow à l’Institut Universitaire Européen (Florence) en 1991, il a travaillé sur l’histoire comparée de la patrimonialisation en Europe[1].

Il est membre du Laboratoire d’anthropologie et d’histoire de l’institution de la culture, dirigé par Daniel Fabre, directeur d’études à l’EHESS et président de la section 38 du Comité national de la recherche scientifique CNRS (mandat 2004-2008).

(Fonte: wikipédia)

Parcours de recherche

L’histoire du statut, des canons et des usages de l’héritage historique français au XVIIIème siècle.

Mes premiers travaux se sont inscrits, chronologiquement et intellectuellement, entre les analyses de Maurice Agulhon sur l’iconographie politique et la culture républicaine et l’entreprise de Pierre Nora de réécrire l’histoire nationale « au second degré ». L’objet de recherches, entre histoire et histoire de l’art, participait de la problématique générale des lieux de mémoire, par l’accent mis sur les créations de musées, et d’une histoire de la réception du passé (en l’occurrence largement destructrice) par l’intérêt porté au vandalisme. L’idée était ici que le mot – héritage, patrimoine, etc. – ne recouvre pas un développement linéaire et continu de la fin du Xvème siècle à nos jours, mais représente des configurations différentes selon les époques, en fonction du rapport que ces époques entretiennent avec le passé. On entendait éviter la démarche internaliste de l’histoire de l’histoire, ou de l’histoire de l’histoire de l’art, tout en participant à une histoire intellectuelle et culturelle très diversifiée dans ses objets comme dans ses approches. Au sein des recherches spécialement dédiées à la Révolution française, enfin, ce travail entendait considérer ensemble, dans ses matériaux et dans ses représentations, l’appropriation d’une culture historique et son refus, voire son abolition : un enjeu ultérieur a été de définir musée et patrimoine dans la longue tradition républicaine.

L’histoire des musées et des collections patrimoniales comme organisations et comme régimes de publicité du savoir,XIXème-Xxème siècles.

J’ai voulu parallèlement contribuer à développer un domaine du savoir jusque-là marginal ou dominé dans la hiérarchie des objets légitimes. Le champ nouveau des « museum studies », encore peu fréquenté en France, comme celui de l’histoire des bibliothèques, ou encore les histoires des publics et du loisir, davantage représentées, permettent de poser les jalons d’une histoire de la patrimonialisation qui ne soit ni commémorative ni appliquée, et qui ambitionne de pratiquer la comparaison à l’échelle européenne. Les recompositions disciplinaires sont toujours en cours, entre sciences de l’information et de la communication, sociologie des organisations, sociologie des publics, anthropologie, conduisant tantôt à promouvoir une discipline nouvelle, la « muséologie », tantôt un ensemble de perspectives historiques critiques. Toujours est-il que les enjeux historiographiques propres au champ du patrimoine doivent amener à considérer plus précisément une institution centrale de nos cultures, singulièrement négligée dans l’enceinte académique (à l’exception de la perspective professionnalisante).

A partir de ces acquis, on n’entend pas sonder l’opacité des objets de patrimoine, dans une démarche herméneutique propre à l’histoire de l’art, ni calculer, à côté de leur intérêt artistique, documentaire, illustratif ou savant, leur valeur communicationnelle au nom d’une éventuelle muséologie, ou héritologie. Il ne s’agit pas davantage de donner la chronique d’enrichissements successifs, dans la montée des protections monumentales ou la multiplication des musées, qui retracerait l’élaboration d’une conscience collective, depuis ses premiers hérauts jusqu’à son couronnement sous une administration éclairée. La perspective est au contraire de déplacer les intérêts d’une histoire du patrimoine : de la description des corpus vers la considération de leurs processus de constitution et de traitement. Le dessein est d’envisager les constructions patrimoniales comme autant de modes appropriés de traiter le passé, comme autant de styles – le style incarnant une « notion de perspective historique » selon la formulation de Carlo Ginzburg.

On voudrait montrer comment se racontent les « trouvailles » à travers inventaires, parcours et commerces ; comment s’élaborent parallèlement des intrigues, des types d’inventeurs et de patrimoines dans un rapport à l’« écologie des images » et des lieux. On peut avancer que « l’évidence » du patrimoineengage dans les discours modernes une « crédibilité » spécifique, qu’elle se décline en conventions et en procédures devant les objets et les cultures, enfin qu’elle donne lieu à différents registres de l’accès, de la (ré)appropriation, de l’émotion – les civilités du patrimoine. Ces deux dernières années ont permis, notamment, d’esquisser une enquête sur les patrimonialisateurs (ou les amis d’objets et de monuments) saisis à travers leurs témoignages (auto)biographiques, les jugements de leurs pairs, ou leur propre production savante, et confrontés à une légitimité culturelle qu’ils reconnaissent ou qu’ils dénient, selon les cas.

Ouvrages personnels

Bibliographie de l’histoire des musées de France, Paris, Editions du Comité des Travaux Historiques et Scientifiques, 1994, 182 p. Epuisé. Nouvelle édition revue et augmentée en cours.

Surveiller et s’instruire. La Révolution française et l’intelligence de l’héritage historique, Oxford, Voltaire Foundation, Studies on Voltaire and the eighteenth century, vol. 344, 1996, xii-592 p.

Musée, nation, patrimoine, 1789-1815, Paris, Gallimard, Bibliothèque des Histoires, 1997, 406 p.

Les Lumières, Paris, Presses Universitaires de France, Premier Cycle, 2000, 420 pages.

Patrimoine et Musée : l’institution de la culture, Paris, Hachette, Carré, 2001, 3ème édition 2004, 224 p.

Musées en Europe : une mutation inachevée, (avec Catherine Ballé), Paris, La Documentation française, 2004, 286p.

Une histoire des musées de France, Paris, La Découverte, collection ‘L’espace de l’histoire”, 2005, 200p.

Musée et muséologie, Paris, La Découverte, collection “Repères”, 2005, 125p.

(Fonte: http://www.lahic.cnrs.fr/spip.php?article30)

Tese de mestrado: « Museu do Território do Vale da Paiva e Serras »

juin 24, 2010

Museu do Território do Vale da Paiva e Serras
Autor: Arménio dos Santos Vasconcelos
Orientação: António Nabais
Dissertação apresentada à Universidade de Évora para obtenção do grau de Mestre em Museologia
Ano: 2010. Tese defendida a 16 de Junho de 2010
Nota: Júri constituído por Filipe Themudo Barata (Presidente),José d’Encarnação (arguente) e António Nabais (orientador). O candidato obteve a classificação de «bom com distinção».

Tese de Mestrado: « Museu Militar de Elvas »

mai 5, 2010

Defesa pública de tese, Universidade de Évora
30 de Abril de 2010

Museu Militar de Elvas
Autora: Patrícia Isabel Janarra Machado
Orientação: João Carlos Pires Brigola
Relatorio de estágio apresentado à Universidade de Évora para obtenção do grau de Mestre em Museologia.
Ano: 2010. Tese defendida a 30 de Abril de 2010

Nota: Júri constituído por Filipe Themudo Barata (Presidente), Jorge Manuel Pestana Oliveira (arguente) e João Carlos Pires Brigola. Este trabalho académico já se insere no âmbito de Bolonha.
Classificação: 14 valores

Resumo: O presente relatório pretende dar a conhecer o contexto histórico-social em que surge o projecto museológico do Museu Militar de Elvas (MME). Apresenta as colecções do museu que contam uma história, encerram um passado e são parte importante da identidade nacional e local. Aborda a importância da concretização de uma política de conservação preventiva nos museus, uma vez que a preservação do património é uma das mais nobres missões cometidas às sociedades contemporâneas. Os objectivos gerais de definir normas e procedimentos de conservação preventiva consistem na erradicação ou diminuição das causas de deterioração e na descoberta precoce das ameaças com a finalidade de evitar o recurso a uma intervenção curativa. Assim sendo, privilegiou-se a elaboração de uma proposta de plano de conservação preventiva, no qual são definidas normas e procedimentos de conservação preventiva adaptadas quer às tipologias das colecções quer aos diferentes espaços físicos do MME.

Palavras-chave: Museu Militar de Elvas; Conservação Preventiva

Abstract: This report seeks to present the historical and social context in which it appears the museum project of the Military Museum of Elvas (MME). Presents the collections of the museum that tell a story, enclosing a month and are an important part of national identity and place. Discusses the importance of implementing a policy of preventive conservation in museums, since the preservation of heritage is one of the noblest tasks assigned to contemporary societies. The general objectives of setting standards and procedures for preventive conservation involve the reduction or eradication of the causes of deterioration and the early detection of threats in order to avoid the use of a curative intervention. Therefore, we focused on developing a draft plan of preventive conservation, which defines standards and procedures for preventive conservation adapted to both types of collections or to different physical spaces of the MME.

Key-words: Military Museum of Elvas; Preventive Conservation

Tese de Mestrado: « Museu de Arte Contemporânea de Elvas: para o conhecimento do (s) seu (s) público (s) »

mai 3, 2010

Defesa pública de tese, Universidade de Évora
27 de Abril de 2010

Museu de Arte Contemporânea de Elvas: para o conhecimento do (s) seu (s) público (s)
Autora: Isabel da Conceição de Almeida Pinto
Orientação: João Carlos Pires Brigola
Relatorio de estágio apresentado à Universidade de Évora para obtenção do grau de Mestre em Museologia.
Ano: 2010. Tese defendida a 27 de Abril de 2010

Nota: Júri constituído por Filipe Themudo Barata (Presidente), Paulo Alexandre Simões Rodrigues (arguente) e João Carlos Pires Brigola. Este trabalho académico já se insere no âmbito de Bolonha.
Classificação: 17 valores

Resumo: O presente Relatório decorre do estágio efectuado no Museu de Arte Contemporânea de Elvas que teve como objectivo geral o estudo de públicos daquela instituição. Diagnosticámos os instrumentos utilizados e reflectimos sobre o modo como são aplicados e potenciados, na perspectiva da definição de um perfil(s) de público(s). Tomando em consideração os resultados do diagnóstico, propusemo-nos apresentar a aplicação de um instrumento de estudo de públicos (um inquérito por questionário) de modo a traçar uma sociografia dos públicos do museu, conhecer os seus hábitos de consumo cultural e avaliar o museu.
O conhecimento dos públicos (reais e potenciais) é uma premissa fundamental para a planificação dos programas de captação e fidelização de públicos, apesar de, no contexto da museologia nacional, constituírem ainda uma área recente de reflexão. Permitem avaliar a eficiência na gestão dos recursos e o impacte social que tem a programação do museu e dos serviços educativos.

Palavras – chave: Museu de Arte Contemporânea de Elvas, Estudos de Públicos, Inquérito por questionário

Museum of Contemporary Art of Elvas: to the knowledge of (s) your (s) public (s)

Abstract: This report follows the traineeship at the Museum of Contemporary Art of Elvas which aimed to study the general public that institution. Diagnosed the instruments used and reflected on how they are applied and strengthened with a view to drawing up a profile (s) public (s). Taking into account the results of the analysis, we decided to present the application of a study of public (an inquiry) in order to set a public sociography of the museum, learn about their habits of cultural consumption and evaluate the museum. Knowledge of the public (actual and potential) is a fundamental precondition for the planning of programs for acquisition and retention of audiences, although in the context of national museology, still constitute an area of recent debate. To assess the efficiency in resource management and social impact that has the museum’s program and educational services.

Keywords: Museum of Contemporary Art of Elvas, Public Studies, Survey by questionnaire

Tese de Mestrado « As Colecções de Arqueologia dos Museus da Região Autónoma da Madeira – uma proposta de abordagem Pedagógica dos acervos »

avril 29, 2010

Defesa pública de tese, Universidade de Évora
26 de Março de 2010
©Ana Carvalho

As Colecções de Arqueologia dos Museus da Região Autónoma da Madeira – uma proposta de abordagem Pedagógica dos acervos
Autora: Isabel Paulina Sardinha de Gouveia
Orientação: João Carlos Pires Brigola, Elvio Duarte Martins Sousa
Dissertação apresentada à Universidade de Évora para obtenção do grau de Mestre em Museologia
Ano: 2010. Tese defendida a 26 de Abril de 2010

Nota: Júri constituído por Filipe Themudo Barata (Presidente), João Carlos Pires Brigola, Elvio Duarte Martins Sousa, Leonor Maria Pereira Rocha e Jorge Manuel Pestana de Oliveira.
Classificação: Muito bom

Resumo:

O presente estudo tem como propósito primordial o estudo dos acervos arqueológicos existentes nos museus da Região Autónoma da Madeira, numa perspectiva de análise didáctico – pedagógica.

Ao longo dos sete capítulos que formam esta dissertação, contextualizamos teórica e conceptualmente o nosso objecto de estudo, fazemos uma retrospectiva do panorama museológico regional, sintetizamos a actividade arqueológica na Madeira, analisamos o suporte legislativo determinante para a museologia regional e nacional, caracterizamos as unidade museológicas regionais detentoras de colecções de arqueologia, descrevemos de forma sumária os acervos arqueológicos dessas unidades, reflectimos sobre a vertente educativa dos museus.

Finalmente, e tendo presente a necessidade de contextualização para fins formativos e educativos dos acervos arqueológicos existentes nos museus, concebemos duas propostas de abordagem dos acervos arqueológicos do Parque Arqueológico do Museu Quinta das Cruzes e do Núcleo Museológico de Machico – O Espaço do Solar do Ribeirinho. Para o primeiro desenvolvemos um jogo virtual e para o segundo criamos um caderno de actividades didáctico – pedagógicas e um desdobrável.

Provas de mestrado em museologia, Évora

avril 19, 2010

Ainda no mês de Abril terão lugar pelo menos três defesas públicas de teses em museologia na Universidade de Évora:

Prova de Mestrado de Patrícia Isabel Janarra Machado
Museu Militar de Elvas
30/04/2010 10:00h – Sala 131 do Colégio do Espirito Santo

Prova de Mestrado de Isabel da Conceição de Almeida Pinto
Museu de Arte Contemporânea de Elvas: para o conhecimento do (s) seu (s) público (s)
27/04/2010 10:30h – Sala 131 do Colégio do Espirito Santo

Prova de Mestrado de Sónia Cristina Pita Grazina
Programação Museológica do Museu do Vinho de Redondo: Contributo para uma Estratégia Educativa
27/04/2010 14:30h – Sala 131 do CEs. Nota: Ao que tudo indica a data desta defesa foi alterada para dia 30 de Abril, da parte da tarde. Todavia, convém confirmar junto da Universidade.

Prova de Mestrado de Isabel Paulina Sardinha de Gouveia
As Colecções de Arqueologia dos Museus da Região Autónoma da Madeira – uma proposta de abordagem Pedagógica dos acervos
26/04/2010 10:30h – Sala 131 do Colégio do Espirito Santo

Nota: Algumas destas informações podem estar desactualizadas devido a alterações de última da hora. As pessoas interessadas em assistir a algumas destas provas devem informar-se junto da universidade.

Tese de Mestrado: « Os Trinta anos do Projecto Mértola Vila Museu: Balanço e Perspectivas »

avril 8, 2010

No seguimento da divulgação da defesa da tese
« Os Trinta anos do Projecto Mértola Vila Museu: Balanço e Perspectivas » de Lígia Rafael, divulgamos o resumo.

Resumo:

A partir de final da década de setenta do século XX Mértola viveu novos tempos, não tão áureos como os do seu passado de cidade portuária, elo de ligação com as riquezas do Mediterrâneo mas, pelo menos, de Vila conhecedora das suas raízes, pronta para construir o seu novo futuro. Este novo alento foi sem dúvida dado pela consciencialização relativamente à importância do seu património arqueológico, histórico e natural.

Esta tese pretende clarificar a relação existente entre o Projecto Mértola Vila Museu e o desenvolvimento local, caracterizando e analisando o projecto com o objectivo de conhecer as suas acções, implicações e consequências no desenvolvimento de Mértola. Passados trinta anos esta reflexão é essencial para perceber se este projecto foi, ainda é, e será, factor de desenvolvimento local, e quais as suas perspectivas de futuro.

Palavras-chave: Património; Território; Desenvolvimento Local; Comunidade; Museu; Preservação; Valorização.

Museus e Património: Conversa aberta com Hugues de Varine, 25 Mar. 2010

mars 22, 2010

No próximo dia 25 de Março, pelas 10h, na sala 131 do Colégio do Espírito Santo da Universidade de Évora, e no âmbito da investigação de apoio ao mestrado de Museologia da Universidade, o CEHFCi – Centro de Estudos de História e Filosofia da Ciência, e o CIDEHUS – Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades, promovem uma sessão aberta com Hugues de Varine.

Coordenação: Filipe Themudo Barata e João Carlos Brigola

« Hugues de Varine é ex-presidente do ICOM e é consultor internacional na área de museus. Com frequência realiza missões culturais em todo o mundo, apresentando e discutindo a sua experiência na implantação e gestão de Ecomuseus em diversos países. »

(Fonte: http://www.officinalis.org/)

Após esta sessão terá lugar, no mesmo local, a defesa pública da tese – “Os Trinta Anos do Projecto Mértola Vila Museu: Balanço e Perspectivas”. Sobre a constituição do júri: João Brigola (orientador), Cláudio Torres (co-orientador), Flipe Themudo Barata (Presidente do júri), Hugues de Varine (arguente) e Ana Cardoso Matos.

Tese Mestrado « Os Museus e o Património Cultural Imaterial »

janvier 5, 2010

Os Museus e o Património Cultural Imaterial: Estratégias para o Desenvolvimento de Boas Práticas
Autor: Ana Alexandra Rodrigues Carvalho
Orientador: Prof. Doutor Filipe Themudo Barata
Dissertação apresentada à Universidade de Évora para obtenção do Grau de Mestre em Museologia
Ano: 2009. Tese defendida a 23 de Dezembro

Nota: O júri foi constituído pelo Prof. Doutor João Carlos Brigola (Director do Mestrado) na qualidade de Presidente do júri. Foi arguente o Prof. Doutor Jorge de Freitas Branco (Director do Mestrado em Museologia: Conteúdos Expositivos do ISCTE) e foi vogal o Prof. Doutor Filipe Themudo Barata, orientador da dissertação.

Resumo:

Tomando como referência fundamental o trabalho desenvolvido pela UNESCO em matéria de protecção do Património Cultural Imaterial (PCI), muito particularmente a Convenção para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial (2003), considerou-se oportuno reflectir sobre as implicações que este enfoque traz para os museus. São indiscutíveis as repercussões que este instrumento trouxe para o reconhecimento da importância do PCI à escala internacional, motivando um crescendo de iniciativas em torno da sua salvaguarda. São vários os agentes envolvidos na preservação deste património, no entanto o International Council of Museums (ICOM) reconhece um papel central aos museus nesta matéria. Mas para responder a este repto, os museus terão que repensar as suas estratégias de forma a relacionar-se mais com o PCI, contrariando uma longa tradição profundamente enraizada na cultura material.

O presente estudo reflecte sobre as possibilidades de actuação dos museus no sentido de dar resposta ao desafios da Convenção 2003, sendo certo que a partir das actividades dos museus é possível encontrar formas de estudar e de dar visibilidade a este património. Em função das especificidades de cada museu, podem ser encontradas estratégias de salvaguarda do PCI, entre as quais se pode incluir o inventário e a documentação (audiovisual, texto, áudio, imagem), a investigação, a divulgação através de exposições e publicações, difusão através da internet, educação não formal, entre outras actividades. Alguns museus começaram já a desenvolver abordagens integradas para a salvaguarda do PCI, cujos exemplos se apresentam. Este tema suscita vários desafios, implicando práticas museológicas inovadoras que possam reflectir o papel dos museus como promotores da diversidade e criatividade cultural.

Palavras-chave: Museologia, Património Cultural Imaterial, Património Cultural, Convenção para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial, Diversidade Cultural, UNESCO, ICOM.

——

Abstract:

Recalling the UNESCO’s work towards the protection of Intangible Cultural Heritage (ICH), in particular the Convention for the Safeguarding of the Intangible Cultural Heritage adopted in 2003, I took this opportunity to reflect upon the implications that this recognition brings to museums. The overwhelming success of this document has raised the importance of ICH at international level, motivating a growing number of initiatives towards its safeguard. Accordingly to the 2003 Convention, there are many agents involved in the preservation of this heritage, yet the International Council of Museums (ICOM) recognises a central role for museums. Nevertheless, to face this challenge, museums will have to rethink their relationship with ICH in opposition to their deep rooted tradition in material culture.

The present study reflects upon the possibilities that museums have to answer the changeling 2003 Convention, recognizing that it’s possible through museum activities to find ways to study and give visibility to ICH. According to each museum specificities, it seams clear that strategies can be engaged in order to promote the safeguard of ICH, including inventory and documentation (audiovisual, audio, text and image), research, promotion through exhibitions, publications, dissemination trough internet and other means, informal education, among other activities. Many museums have already started exploring integrated approaches towards the safeguard of ICH and some of these examples are presented in this study. This theme is challenging, implying innovative museum practices which reflect on museums role towards the promotion of cultural diversity and creativity.

Keywords: Museum Studies, Intangible Cultural Heritage, Cultural Heritage, Convention for the Safeguarding of the Intangible Cultural Heritage, Cultural Diversity, UNESCO, ICOM.

Tese Dout. « Colecções e Museus Geológicos Portugueses: Valores Científico, Didáctico e Cultural »

novembre 23, 2009

Colecções e Museus Geológicos Portugueses: Valores Científico, Didáctico e Cultural
Autor: José Manuel M. V. Brandão
Orientadores: Prof. Doutor João Carlos Brigola e Prof. Doutor Josep Maria Mata-Perelló (Universidade Politécnica da Catalunha)
Dissertação apresentada à Universidade de Évora para obtenção do grau de Doutor em História e Filosofia da Ciência
Ano: 2009. Tese defendida a 9 de Outubro.

Obs.: Poderá encontrar esta tese na biblioteca da Universidade de Évora bem como na Biblioteca Central do IMC (a seu tempo, pois creio que estes procedimentos levam algum tempo). E, claro, na biblioteca nacional…)

RESUMO:

Com o presente estudo pretendeu-se identificar e caracterizar uma amostra representativa das diversas colecções de objectos geológicos actualmente existentes sob diferentes tipos de tutela, pública e privada, no território nacional (continente e Regiões Autónomas). Os principais objectivos respeitam à avaliação do potencial científico e cultural dessas colecções e ao diagnóstico das respectivas condições de conservação e acessibilidade.

A título de contexto e comparação, fez-se um pequeno historial do percurso deste tipo de acervos e uma abordagem geral de conceitos no domínio da gestão de colecções, particularmente focada nos materiais geológicos, referindo-se alguns exemplos da cena internacional.

Considerando a emergência da problemática ambiental e do paradigma da geoconservação, abordou-se também a problemática da ligação entre a preservação e a fruição pública do património geológico in situ e as colecções museológicas que, sob a forma de bens móveis, documentam os fenómenos e produtos geológicos cujo conjunto configura a geodiversidade às diferentes escalas de observação.

Os casos exemplares referidos no texto, que se repartem de uma forma assimétrica pelo território português, foram agrupados em quatro categorias segundo as respectivas tutelas: colecções e museus universitários, colecções e museus na dependência de organismos da Administração Central e Regional do Estado, colecções e museus sob tutela de órgãos autárquicos e colecções e museus ligados a entidades de direito privado. Para cada uma destas categorias, tentou proceder-se à leitura global dos materiais existentes, do modo como estão documentados, de eventuais problemas de conservação e segurança e dos recursos humanos envolvidos na sua gestão. Pela sua importância pedagógica e visibilidade, abordam-se igualmente alguns dos novos Centros de Ciência e Centros de Interpretação, focados em temáticas de carácter geológico.

Conclui-se com uma apreciação global do “estado da arte”, reveladora de diversas insuficiências que se manifestam sobretudo ao nível dos recursos financeiros e humanos, ao nível da documentação e da divulgação dos diversos acervos encontrados. No entanto, verificou-se que, no seu conjunto, estes acervos documentam a geovariedade e a infra-estrutura geológica nacional, manifestando um potencial científico e cultural elevado, constituindo um recurso essencial para a investigação em Ciências da Terra e da Vida e para a divulgação da cultura geocientífica.

ABSTRACT

With this study we set out to identify and characterize a representative sample of the various collections of geological objects existing under different types of guardianship, public and private, within the national territory (mainland and the autonomous regions). The main aims of this work concern the assessment of the scientific and cultural potential of these collections and the diagnosis of conditions for their preservation and accessibility.
By way of context and comparison, a small historical pathway was set out for this kind of collections and a general approach of concepts in the domain of the collections management, specially focused on the geological materials, referring to some examples of the international scene.
Considering the emergence of environmental problems and the paradigm of geoconservation, it was tackled up the question of the connection between preservation and public enjoyment of in situ geological heritage and the museum collections which, in the form of movable heritage, document the geological phenomena and products which together set the geodiversity to different scales.
The exemplary cases referred to in the text, which are dispersed in an asymmetric way around the Portuguese territory, were grouped into four categories according to their guardianship: university collections and museums, collections and museums in reliance on services of Central and Regional Administration of the State, collections and museums under the supervision of local authorities and, collections and museums connected to private entities. For each of these categories, we tried an overall understanding of the existing materials and the way they are documented, the eventual conservation problems and safety, and human resources involved with their management. Because of its educational importance and visibility, there are also mentioned some of the new Science and Interpretation Centres, focused on geological themes.
It has been concluded with an overall assessment of the “state of the art », that reveals several shortcomings which occur mainly at the level of financial and human resources, at the documentation and diffusion of the various collections found. However, it was found that, overall, these collections document the geodiversity and geological national infrastructure, expressing a high cultural and scientific potential, establishing an essential resource for the Earth and Life Sciences research and for a geoscientifical culture.

RESUMEN

Con este estudio nos propusimos identificar y caracterizar una muestra representativa de las distintas colecciones de objetos geológicos actualmente existentes bajo de los diferentes tipos de tutela, pública y privada, en el territorio nacional (continental y las regiones autónomas). Los principales objetivos están enfocados en una evaluación del potencial científico y cultural de estas colecciones y un diagnóstico de las condiciones necesarias para su preservación y accesibilidad.
A modo de contexto y comparación, se hizo un poco de historia del recorrido de esas colecciones y un enfoque general de los conceptos en la gestión de las colecciones, en particular, centrada en el material geológico, refiriéndose también a algunos ejemplos a nivel internacional.
Teniendo en cuenta la aparición de las consideraciones ambientales y del paradigma de la geoconservación, se abordó la cuestión de la relación entre la preservación y el disfrute público del patrimonio geológico in situ y las colecciones de los museos que, en forma de bienes muebles, documentan los fenómenos y los productos geológicos que en su conjunto permiten caracterizar la geodiversidad a diferentes escalas de observación.
Los casos ejemplares referidos en el texto, que se distribuyen de una manera desigual por el territorio portugués, se agruparon en cuatro categorías en función de su tutela: colecciones y museos universitarios, colecciones y museos bajo la dependencia de los organismos de la Administración Central y Regional del Estado, colecciones y museos, bajo la supervisión de los órganos locales, colecciones y museos vinculados a entidades privadas. Para cada una de estas categorías, se intento hacer una lectura de los materiales, la forma en que están documentados, los más importantes problemas de conservación, seguridad y recursos humanos que participan en su gestión. Por su importancia educativa y su visibilidad pública, también se abordó algunos de los nuevos Centros de Ciencia y Centros de Interpretación, ubicados en temas o problemáticas de naturaleza geológica.
Se concluye con una evaluación global del estado del arte, indicador de varias deficiencias que se manifiestan principalmente a nivel de recursos financieros y humanos, en la documentación y en la difusión de las diversas colecciones. Sin embargo, se constató que, en general, estas colecciones, que documentan la geodiversidad y la infraestructura geológica nacional, expresan un alto potencial científico y cultural, constituyendo un recurso esencial para la investigación en Ciencias de la Tierra, la Vida y la divulgación de la cultura geocientífica.

Colóquio: « Entre a História a Estética e a Técnica: Diálogos de Património Cultural, 18 Set. 2009

septembre 7, 2009

cartazcoloquiodialogos

No próximo dia 18 de Setembro tem lugar na Universidade de Évora (Palácio Vimioso) um colóquio subordinado ao tema: « Entre a História a Estética e a Técnica: Diálogos de Património Cultural ».

A organização deste colóquio cabe aos alunos do curso de Mestrado em Gestão e Valorização do Património Histórico e Cultural (2008/2010) da Universidade de Évora.

Serão discutidos as várias dimensões do património cultural. Assim, as comunicações organizam-se em torno de cinco painéis distintos: Património Imaterial, Construído, Móvel, Arqueológico e Industrial.

A inscrição é gratuita mas é obrigatória.

Foi criado um blogue para divulgação do colóquio e onde poderã encontrar mais informação (ficha inscrição, programa, links de interesse, etc.): http://coloquiodpc.wordpress.com/

Jornadas Património Ferreira Alentejo, 21-22 Outubro 2008

octobre 1, 2008

Nos dias 21 e 22 de Outubro terão lugar as primeiras jornadas dedicadas ao Património em Ferreira do Alentejo.

Local: Auditório do Museu Municipal de Ferreira do Alentejo
Organização: Câmara Municipal de Ferreira do Alentejo
Apoio: CIDEHUS-Universidade de Évora

Entrada gratuita para estudantes
Público em Geral: 10 euros

Programa e Ficha de Inscrição

Cartaz

Blogue do projecto MEDINS

juillet 18, 2008

Divulgamos aqui um novo blogue. Trata-se do blogue do projecto MEDINS: Identity is Future: The Mediterranean Intangible Space. Criado pela Universidade de Évora, este site pretende divulgar as actividades desenvolvidas no âmbito deste projecto.

O MEDINS é um projecto europeu de cooperação internacional financiado ao abrigo do FEDER através do programa INTERREG III B MEDOCC. Tem como objectivo o desenvolvimento de acções com vista à identificação e salvaguarda do Património Cultural Imaterial do Mediterrâneo, em articulação com políticas de promoção do desenvolvimento sustentado local e regional.

O endereço é o seguinte: http://medinsuevora.wordpress.com/

CONF: Património Imaterial no Alentejo, 17 Maio 2008

mai 16, 2008

Entre hoje e amanhã decorre o Festival Internacional da Cantos Improvisados em Alcácer do Sal. O evento inclui performances ligadas a esta temática e um colóquio – « O Canto de Improviso como Património Imaterial: Metodologias de Inventário e Processos de Salvaguarda ».

A organização e coordenação cabe à Direcção Regional de Cultura do Alentejo e à Câmara Municipal de Alcácer do Sal.

Local: Auditório Municipal de Alcácer do Sal

A Direcção Regional de Cultura do Alentejo e o Munícipio de Alcácer do sal, preocupados com o estado actual da décima e do verso improvisado no Sul de Portugal, em particular do « Canto do Ladrão do Sado », e no âmbito do Programa para a Salvaguarda do Património Intangível do Alentejo (PI), assumiram em conjunto a intenção de proceder à salvaguarda destas práticas poético-musicais.

Esta intenção visa não só contribuir para um melhor conhecimento destas espressões, como também desenvolver um conjunto de acções práticas que possibilitem a sua salvaguarda e promoção aos níveis local, regional, nacional e internacional. Criar uma sustentabilidade social, económica daqueles que detêm as aptidões culturais consideradas fundamentais a este programa de salvaguarda, potenciando a sua transmissão é imperativo.

Estes objectivos só poderão ser alcançados num amplo e profundo diálogo no qual os improvisadores, poetas, músicos, investigadores e outros agentes participem, procurando encontrar soluções para a continuidade destas práticas poéticas fundamentais para a permanência da diversidade cultural do Alentejo.

A diversidade e o dálogo intercultural que a décima e o verso improvisado permitem entre pessoas de diferentes regiões, diferentes países e diferentes continentes, são um exemplo profundo do diálogo de Paz que o Património Intangível da cultura dos povos pode ajudar a construir, e que a Convenção para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial, adoptada pela UNESCO em 2003, e já ratificada pela Assembleia da República Portuguesa, assume e reconhece.

Com o colóquio « cantos de despique »- expressão portuguesa para o verso e o canto de improviso – pretende-se abir um espaço de reflexão sobre o que é o Património Intangível e o verso improvisado, bem como discutir metodologias de inventário e estratégias de salvaguarda, dando particular atenção a um conjunto de experiências desenvolvidas no Mediterrâneo e em Portugal.

(in programa)

Para mais informações consulte o Programa:
festival-internacional-cantos-improvisados

CONF: « An integrated approach to safeguard tangible and intangible heritage… »

janvier 22, 2008

cairo-seminario-medins-janeiro-2008.jpg

Participantes do seminário, CULTNAT, Cairo
© Alessandro Pernice

O seminário « An integrated approach to safeguard tangible and intangible heritage in the Mediterranean historical centre », que se realizou no passado dia 14 de Janeiro de 2008 deu lugar a mais uma discussão profícua sobre o Património Cultural Imaterial.

Este encontro foi organizado pela HERIMED e CULTNAT no âmbito do projecto MEDINS – Identity is future: Mediterranen Intangible Space., permitindo a participação de diversas universidades e instituições ligadas à Cultura. Representando a Universidade de Évora esteve presente o Prof. Doutor Filipe Themudo Barata, coordenador da equipa portuguesa do projecto MEDINS.