Archive for the ‘Conferences’ Category

Património imaterial em destaque

septembre 29, 2011

Por estes dias, o património imaterial é território fértil de actividades.

Irá ter lugar, hoje (30 Set.) o festival Artes da Fala, organizado pela Câmara Municipal de Portel e pela Associação de Folcloristas do Alto Alentejo.

O programa do festival inclui (a partir das 21h30):
Cântico às Oliveiras Bentas [Alandroal]
Grupo Coral Os Almocreves [Portel]
Poetas Populares do Alentejo
Improviso em Ottava Rima:
Giampero Giamogante (voz) e Donato de Acutis (voz e organetto) [Itália]
Prazo&Label T. [rapper’s] [Sines]

No dia 1 de Outubro (sábado) realiza-se uma mesa-redonda dedicada a “Património Cultural Imaterial, Identidade, Turismo e Estratégias Locais”. O coordenador é Luís Tojo (vereador da Câmara Municipal de Portel).

De acordo com o programa:

16h00
Discussão urgente: de que falamos quando falamos de Património Cultural Imaterial, Pedro Félix (INET-MD- Universidade de Lisboa)

A materialidade do imaterial, José Rodrigues dos Santos (CIDEHUS, Universidade de Évora)

Inventário do PCI ou inventário-catálogo da Paisagem? Paulo Lima (Câmara Municipal de Portel)

Património imaterial, modos de recolha e representação, «Sinfonia do Imaterial», Tiago Pereira, realizador

INATEL, agência consultiva para o Património Cultural Imaterial, Carla Raposeira (Fundação INATEL)

17h45 – pausa para café

18h00 – Exibição do filme “SINFONIA IMATERIAL”, um filme de Tiago Pereira

21h30 Festival Artes da Fala
Grupo Etnográfico de Moldes (Arouca)
Bailinhos (Títeres da Ti Melindra) [Borba]
Improviso em Ottava Rima:
Giampero Giamogante (voz) e Donato de Acutis (voz e organetto) [Itália]
Prazo&Label T. [rapper’s] [Sines]

A entrada é livre

Local: auditório municipal

Publicités

Ciclo de encontros sobre educação pela arte

septembre 27, 2011

Encontros da Arte e Educaçao no Alentejo 30 de Setembro, Auditório do Centro de Artes de Sines, a partir das 10h00, com Madalena Victorino e Rui Horta ( O espaço do Tempo). Inscrições na recepção do CAS ou por telefone para 269 860 080. Gratuito.

Ciclo de encontros sobre educação pela arte, não só no sentido académico, mas também no sentido da partilha de experiências e conhecimentos. Destina-se a agentes educativos, mediadores culturais, profissionais da educação e a todos os atentos a esta temática. Insere-se num leque de actividades a desenvolver com o intuito de implementar as várias formas de expressão artística como mediadoras da aprendizagem e como uma realidade cada vez mais presente nas sala de aula, nos jardins-de-infância, nas instituições culturais e até mesmo num registo familiar. As sessões serão mensais e constituídas por um primeiro momento teórico, no qual serão apresentados e debatidos alguns dos grandes contributos para a afirmação da educação pela arte no nosso país. Seguidamente, pretende-se contar com a presença de um caso que ilustre uma boa prática (situado de preferência no Alentejo ) e, no final do dia, com um ateliê dinamizado pelo orador. Em cada sessão será focada uma das áreas artísticas, sendo objectivo último a interligação entre as mesmas, não só em cada sessão, mas também posteriormente no terreno.

Nota. Será necessário trazer roupa confortável e estar preparado para a experiência do movimento

(Fonte: http://www.facebook.com/groups/redecse/)

Colóquio « Cabinets de curiosités, collections techniques et musées d’arts et métiers: origines, mutations et usages des Lumières à la Seconde Guerre mondiale »

septembre 26, 2011

Musée des Arts et Métiers, Paris
Foto de Ana Carvalho, 2011

Merece aqui uma nota especial a realização do colóquio « Cabinets de curiosités, collections techniques et musées d’arts et métiers: origines, mutations et usages des Lumières à la Seconde Guerre mondiale », que se realiza em Paris entre 29 Setembro e 1 de Outubro 2011. Este encontro é organizado pelo Musée des Arts et Métiers (Cnam), Centre Maurice Halbwachs (EHESS) e pela Universidade de Évora(CIDEHUS).

Os organizadores são: Ana Cardoso de Matos, Marie-Sophie Corcy
Christiane Demeulenaere-Douyère e Irina Gouzévitch

Programa

Resumos das comunicações

Notas biográficas

Mais conferências em Setembro…

septembre 19, 2011

Eis mais algumas conferências no mês de Setembro:

– a conferência « Comunicação Pública da Arte e os Museus: Interacções * Intermédia * Interactividade« , no dia 23 de Setembro, no Museu Colecção Berardo. Mais informações:
http://www.cecl.com.pt/

– a conferência “Museus de Arte Hoje: perspectivas e expectativas museológicas”, no dia 29 de Setembro, pelas 18h00, Sala Multiusos 2, piso 4, Edifício I&D – Universidade Nova. A conferencista é Maria Cristina Oliveira Bruno (Professora Titular em Museologia, Museu de Arqueologia e Etnologia / Universidade de São Paulo). A conferência é organizada pelo Instituto de História da Arte – FCSH/UNL. Esta iniciativa parece ser indicadora das potencialidades que representa um maior intercâmbio entre Portugal e o Brasil na área da museologia.
Sobre este encontro, pode ler-se:

As expectativas museológicas em relação aos museus de arte na contemporaneidade acompanham as mesmas preocupações referentes a instituições de outras tipologias. Há reiterada indicação sobre a necessidade de renovação: das coleções e acervos, das estratégias de aproximação com os distintos segmentos de públicos no que se refere à dimensão social e às faixas etárias e, ainda, há demanda de inovação relativa aos modelos de gestão institucional e da delimitação das específicas funções sociais e educacionais.
Essas preocupações que são transversais ao universo dos museus, no caso dos museus de arte são acrescidas de questões referentes ao equilíbrio entre os avanços das experimentações artísticas e as estratégias museológicas empreendidas para a documentação e conservação dos objetos de arte, extroversão dos acervos e projeção de ações educativas. Há, sem dúvida, um dilema contemporâneo entre o registro do momento da criação e da proposição de poéticas estéticas e a intenção e ação relativas à preservação patrimonial e geração da herança cultural. Há, também, a concentração de esforços no desenvolvimento de propostas que valorizem a educação dos sentidos e suas respectivas correspondências em um cotidiano permeado pelo efêmero.
Localizamos as expectativas entre os dilemas que envolvem as renovações e inovações museológicas e podemos identificar algumas rotas que abrem caminhos para a atualização dessas instituições e seu melhor desempenho junto aos planos de políticas públicas patrimoniais, consolidando perspectivas para a fruição, valorização e projeção do legado artístico.
Entre várias menções, é possível sublinhar a relevância das metodologias educacionais de mediação apoiadas no triângulo articulado entre fruição estética, saber histórico e exercício de ateliê; da mesma forma é importante valorizar os projetos institucionais que buscam aproximar as comunidades em vulnerabilidade social dos museus ou mesmo aqueles que abrem seus espaços para os artistas residentes. Ainda no âmbito dessas perspectivas, as novas iniciativas inerentes à documentação do fazer artístico têm atraído a atenção dos profissionais especializados em sistemas de informação e merecem destaque no âmbito desta abordagem.
A partir desses enunciados, as expectativas relativas aos museus de arte serão delineadas e as perspectivas serão tratadas mediante a argumentação embasada em estudos de casos, a saber:
-Pinacoteca do Estado de São Paulo / São Paulo: a renovação dos processos museológicos e a busca da inclusão social;
-Casa das Onze Janelas / Belém: a arte inserida nos sistemas e redes museológicas;
-Museu de Arqueologia e Etnologia / São Paulo: a arte permeada pela perspectiva do outro;
-Museu Lasar Segal / São Paulo: a rota biográfica a serviço da fruição estética;
-Museu de Artes e Ofícios / Belo Horizonte: as reciprocidades entre arte e trabalho.
Esses casos servirão como exemplo de desafios pontuais que se encontram no específico dilema contemporâneo dos museus, ou seja: refinar as reciprocidades entre objetos interpretados e olhares interpretantes.
(Fonte: informação enviada pela organização do evento)

Mais informações, pode contactar:
iha@fcsh.unl.pt
iha.divulgacao@fcsh.unl.pt
Ou consultar: facebook.com/iha.fcshunl

E a 30 de Setembro realiza-se um seminário organizado pela Rede Portuguesa de Museus (o terceiro de 2011). O tema parte do projecto da exposição “A Taste of Europe – Sabores da Europa”, que resulta de uma parceria entre nove museus europeus. O objectivo destes encontros é “dar visibilidade a boas práticas e a experiências de referência no panorama museológico do país, com objectivos de reflectir sobre potencialidades, dificuldades, metodologias e processos.” (site IMC).
Mais informações: site IMC
Terá lugar no museu de Portimão (10.00h- 13.00h/14.30h-17.30h). A inscrição é gratuita (até 23 de Setembro).

Call for papers: « Museus e Sustentabilidade Financeira »

septembre 14, 2011

No próximo dia 7 de Novembro o ICOM-PT realiza uma jornada de reflexão em torno do tema « Museus e Sustentabilidade Financeira » no Museu Soares dos Reis, no Porto. O programa ainda não foi lançado, até porque a organização optou por fazer uma chamada pública para comunicações (que terminou no dia 10 de Setembro). Ainda que tenha havido pouco tempo para divulgação, parece interessante que seja cada vez mais frequente, entre nós, iniciativas de base « call for papers », um sinal claramente positivo para o desenvolvimento da museologia em Portugal. Sobre o enquadramento do tema do encontro, veja-se em baixo a informação veiculada pelo ICOM-PT

Não é segredo que a gestão dos museus requer um avultado investimento financeiro. No entanto, os museus em Portugal, e nomeadamente os museus públicos e ou apoiados financeiramente pelo Estado, têm vindo a sofrer um congelamento, e em alguns casos até, um decréscimo acentuado do orçamento operacional que lhes é atribuído. Por outras palavras, os museus têm que procurar fontes de rendimento autónomas.

O programa do recém-eleito governo apresenta para os museus uma linha estratégica – reavaliar a política de gratuitidade dos museus públicos. Será este posicionamento suficiente para resolver a situação, por muitos qualificada de penúria, de alguns dos nossos maiores museus ? Qual é o impacto – financeiro e identitário – desta revisão?

Que soluções têm os museus aplicado para compensar a falta de investimento das tutelas ? Qual o peso do rendimento das vendas de loja, restaurantes e cafetarias e do aluguer de espaços no orçamento dos nossos museus ? Os programas de voluntariado vieram alterar o mapa financeiro dos museus? De que modo? Com que custos éticos ?
E quais as implicações destas políticas financeiras na missão do museu ? Estará o museu a comprometer a sua essência identitária ao preocupar-se com a rendibilidade ?

Nesta Jornada ICOM.PT procuramos respostas para estas questões e dar a conhecer práticas e modelos orçamentais que funcionam e que permitem aos museus almejaram um verdadeiro desenvolvimento estratégico.

Propostas de comunicações (20 linhas máximo, para comunicações de 20 minutos), devem ser enviadas até 10 de Setembro para info@icom-portugal.org

Organização ICOM.PT: Inês Fialho Brandão e Maria Vlachou
Apoio institucional: Museu Nacional Soares dos Reis

(Fonte: ICOM-PT)

Seminario Iberoamericano de Investigação em Museologia, 27, 28 e 29 de Out. 2011

juillet 28, 2011

Em Outubro (27, 28 e 29) realiza-se o III Seminário Iberoamericano de Investigação em Museologia (SIAM). Esta iniciativa é da responsabilidade conjunta da Universidade do Porto e da Universidad Autónoma de Madrid.

O programa provisório já está disponível (http://www.siam2011.eu/) e conta com a presença significativa de investigadores portugueses.

Objectivos:

Este seminário tem como principal objetivo o aprofundamento da reflexão e das práticas de investigação no campo da museologia, relacionando diferentes disciplinas e perspectivas, participando activamente na construção de uma comunidade de práticas que apoie a discussão e o desenvolvimento de projetos de investigação comuns. Entende-se a prática museológica como um saber aplicado que precisa igualmente de um desenvolvimento académico e de investigação, de um desenvolvimento profissional e de um desenvolvimento dos contextos de gestão pública e privada. Estos três âmbitos estão cada vez mais próximos e interrelacionados e precisam do mesmo nível de rigor científico, reflexão crítica, responsabilidade social e abordagem sustentável.

(Fonte: site museologia.porto)

Lembre-se que o SIAM teve a sua primeira edição em 2009 e do qual resultaram actas que publicadas na forma de três livros (formato digital). Poderá aceder às publicações através do site da museologia.porto.

Mais informações:
http://www.siam2011.eu/

ICOM-UMAC (21-25 Set) e VI Encontro de Museus dos Países de Comunidades de Língua Portuguesa (26-27 Set)

juillet 21, 2011

Destaco duas inciativas de dimensão internacional a decorrer em Lisboa no próximo mês de Setembro. Uma é a realização da conferência do « International Committee of ICOM for University Museums and Collections (UMAC) » entre 21 e 25 de Setembro, na Universidade de Lisboa. Pode consultar o programa preliminar aqui: http://www.mc.ul.pt/umac2011/preliminary-programme

A segunda é o VI Encontro de Museus dos Países de Comunidades de Língua Portuguesa, que irá ter lugar no Museu do Oriente, em Lisboa, nos dias 26 e 27 de Setembro. Pode encontrar mais informação no site do ICOM PT: http://www.icom-portugal.org/

Call for papers: « Design Inclusivo de Exposições »

juillet 12, 2011

A notícia já tem algum tempo, mas vale a pena sublinhar. O apelo para comunicações e posters para o seminário anual do Grupo para a Acessibilidade nos Museus- GAM, foi extendido. Até 30 de Julho pode ainda enviar a sua proposta para o seguinte endereço: gam.geral@gmail.com

O tema escolhido para este ano é « Design Inclusivo de Exposições » e o seminário realizar-se-á a 17 de Outubro no Museu das Comunicações.

http://gam-acessibilidade.blogspot.com/

História da museologia em foco

juillet 11, 2011

Painel de conferencistas. Da esquerda para a direita: José Brandão, Henrique Coutinho Gouveia, Clara Camacho e Luís Ceríaco
Auditório da Fundação Luso-Americana, Lisboa
© Ana Carvalho, 7 Julho 2011

No passado dia 7 de Julho de 20111 teve lugar em Lisboa uma sessão de trabalho e discussão intitulada « A importância da Museologia na História da Ciência ». Esta sessão enquadrou-se no contexto do « III Encontro de HIstória da Ciência » (Cf. programa), organizado pelo Centro de Estudos de História e Filosofia da Ciência (CEHFCi) da Universidade de Évora.

O encontro deu a conhecer algum do trabalho que está a ser desenvolvido pelo CEHFCi, convidando alguns dos seus investigadores para uma sessão temática sobre o papel da museologia na história da ciência.

A sessão, moderada por Clara Camacho, juntou investigadores de diferentes gerações. Henrique Coutinho Gouveia trouxe uma reflexão sobre a história do ensino da museologia e património em Cabo Verde. Note-se que muito recentemente tem havido laços de cooperação entre a Universidade de Évora (e Instituto Politécnico de Tomar) com a Universidade de Cabo Verde ao nível da docência no âmbito do mestrado em « Património, Turismo e Desenvolvimento » (2010/2011). Ainda no âmbito destas colaborações refira-se o seminário « Património, Museologia e Autarquias », coordenado por Coutinho Gouveia e que se realizou em Cabo Verde em Novembro de 2010 (cf. programa).

José Brandão dedicou a sua intervenção ao tema « Herança histórico-científica do Museu Nacional de Lisboa (Mineralogia e
Geologia) ». Recorde-se que Brandão apresentou em 2009 a tese de doutoramento sobre « Colecções e Museus Geológicos Portugueses: Valores Científico, Didáctico e Cultural » (cf. post) e que ganhou o prémio da APOM para melhor trabalho de museologia.

Apresentação de Luís Ceríaco
Auditório da Fundação Luso-Americana, Lisboa
© Ana Carvalho, 7 Julho 2011

Por sua vez, Luís Ceríaco, um dos doutorandos do CEHFCi apresentou o seu projecto « Colecções zoológicas. A importância dos museus para o desenvolvimento da zoologia em Portugal (XVIII_XX) », dando conta de alguns dos avanços na sua investigação. Este é um projecto orientado por João Carlos Brigola.

Posters de projectos de investigação
Auditório da Fundação Luso-Americana, Lisboa
© Ana Carvalho, 7 Julho 2011

Durante as várias sessões deste encontro, foram divugados os diferentes projectos em curso do CEHFCi, através da apresentação de posters. Neste contexto, também apresentei um poster intitulado « Diversidade Cultural e Museus no séc. XXI: o emergir de novos paradigmas ».

Programa III Encontros Historia da Ciência

Programa seminario « Patrimonio, Museologia e autarquias »

Encontro de Museus do Centro, 20 Maio 2011

mai 19, 2011

A Direcção Regional de Cultura do Centro promove um encontro de museus. Cooperação parece ser palavra-chave. O encontro é já amanhã.

Sobre os objectivos:

Dando con­ti­nui­dade ao de­bate ini­ci­ado no Seminário Redes Regionais de Museus, no dia 13 de Abril, onde fo­ram abor­da­das, de forma mais teó­rica, as es­tru­tu­ras de or­ga­ni­za­ção em rede, as po­lí­ti­cas es­tra­té­gi­cas, os di­fe­ren­tes mo­de­los exis­ten­tes e as pers­pe­ti­vas de par­ce­rias, pretende-se neste Encontro de Museus do Centro par­tir à des­co­berta de al­gu­mas das ins­ti­tui­ções mu­se­o­ló­gi­cas da Região Centro. Isto, para pro­mo­ver o diá­logo e a re­fle­xão, de forma mais prá­tica, atra­vés de cur­tas, in­ci­si­vas e ex­pli­ca­ti­vas apre­sen­ta­ções. Um diá­logo que se pre­tende re­ve­la­dor das po­ten­ci­a­li­da­des e das afi­ni­da­des nas re­la­ções en­tre mu­seus, sem des­cu­rar os an­seios e as di­fi­cul­da­des de cada ins­ti­tui­ção ou do sec­tor em ge­ral. Assim, deseja-se me­lho­rar o co­nhe­ci­mento mú­tuo do te­cido mu­se­o­ló­gico da re­gião num pro­cesso que se quer gra­dual, rei­te­rado e com di­nâ­mi­cas pró­prias, sendo de es­pe­rar que este evento não te­nha um fim em si mesmo. Para tal, am­bi­ci­ona a Direção Regional de Cultura do Centro com este pro­grama, ilus­trar a plu­ra­li­dade dos mu­seus da re­gião, ao ní­vel da tu­tela, da te­má­tica ou da lo­ca­li­za­ção. Previsivelmente, es­tas co­mu­ni­ca­ções se­rão o mote para a pro­cura de com­pa­ti­bi­li­da­des, a par­ti­lha de ex­pe­ri­ên­cias, o de­sen­vol­vi­mento de co­o­pe­ra­ções ou a iden­ti­fi­ca­ção de po­ten­ci­a­li­da­des e di­fi­cul­da­des co­muns. No fundo, o au­mento de co­nhe­ci­mento do sec­tor e o es­trei­tar de re­la­ções en­tre os mu­seus da re­gião é ob­je­tivo deste Encontro.

Pode consultar o programa aqui.

I Jornada de Museologia em Resende

mai 19, 2011

No dia 21 de Maio realiza-se a I Jornada de Museologia em Resende. O tema deste encontro é « A importância dos museus locais e regionais ». Do programa apenas sabemos que estarão presentes António Nabais, Agostinho Ribeiro e Arménio Vasconcelos.

Local: Auditório Municipal de Resende

Para mais informações poderá contactar Carla Vicente: carlavicente@cm-resende.pt
Telefone: 254877200

Local Vocabularies of “Heritage”: Variabilities, Negotiations, Transformations, 8-10 Feb. 2012

mai 18, 2011

Local Vocabularies of “Heritage”
Variabilities, Negotiations, Transformations,

8-10th February 2012

University of Évora – Portugal

Organisation:
Cidehus-University of Évora-FCT
and Network of Researchers on Heritagisations

Call for paper
Dead-line 1st of June 2011

Concern for “heritage”, in its French version of “patrimoine” or the Anglo-Saxon one of “heritage”, is often associated with Western cultural history’s originality and the spreading of the values related to it with a universalist and globalizing vocation. But the objects (artifacts, monuments, sites, animals, plant species and social practices) and the uses (memory and identity processes, transmission dynamics, links with the past and with history) today covered by the sphere of the Western “cultural heritage” are sometimes already part of the cultural practices and collective representations of non-Western societies. This plurality of “heritage” conceptions makes it possible to go beyond the rhetorical motif of the “great division” and to better redefine what makes world cultures different and what connects them. Moreover, though all societies do not attribute the same meaning or the same values to their heritage terminology, they are nonetheless part of a recent semantic and conceptual translation process of the international norms propagated by “heritage” institutions.

The difficulty in analyzing the layers and the differentiations of “heritage” vocabularies stems from the fact that international bodies have gradually included in the “heritage” field very different objects (architecture, town planning, art, landscape, environment, languages or practices and social representations) and have thus encouraged the actors to interpret certain local terminologies in terms of “heritage”, even though “tradition”, “culture”, “custom”, “memory” or “transmission” could have been considered autonomously. Moreover, the division of the “heritage” field into “cultural heritage”, “natural heritage” and “intangible heritage” contains in itself a classification of the real which is not directly transferred to social situations and which also obliges local actors to redefine their own categories of thought.

Besides, Western “heritage” terminology is perhaps only pertinent to the extent that the actors themselves assert their right to this vocabulary and use it. This relativistic position makes it possible to speculate on three aspects : firstly, on the terminologies applied to “heritage” type activities already at work locally in cultures outside international frameworks ; secondly, on the translations of the terms “heritage”, “safeguarding”, “preservation”, “restoration”, “valorization” etc. in conceptual negotiations which take place locally and, thirdly, on the differences existing between these two levels and on the incomprehension this disparity creates in the local implementation of programs using international categories.

Is it possible to draw up a comparative inventory of “heritage” notions present throughout human societies? What are the local notions that come into play in the contemporary “heritage” arena? What exactly do these notions cover in the autonomous regions of Europe or in those seeking independence and in the nations resulting from decolonization? How are the meanings and requalifications of vocabulary distributed in minority and fringe groups? To what extent can the heritage field be taken as a vantage point for a society’s historical evolution?

The central idea of this symposium is to carry out an international comparison of vocabulary variants and local linguistic uses of “heritage”, both in the context of contact with international institutions and in the limited one of indigenous and customary uses. The symposium therefore proposes to take seriously the emic definitions and redefinitions of “indigenous terms” and to draw up a critical inventory of them, by going beyond the fiction of a continuous and globalized homogeneous “heritage” field. A comparative analysis and the confrontation of related concepts in the different local vocabularies would also make it possible to get the measure of the transactions, mutations, misunderstandings and transfers that may arise from the global contact initiated in cultural exchanges over the last two centuries.

In this perspective, four main fields of reflection seem to emerge:
1. The variability of “heritage” vocabularies and the social effects of this in different cultural, historical and political contexts. How should we today consider the originality of Western systems of preservation, transmission and archiving and those of “other” cultures?
2. The conceptual negotiations at stake in the adjustments of local terms on a regional, national or international level. How are these negotiations part of the public space of terminological requalification of “heritage” vocabularies and practices, sometimes embodied in the form of “heritage” specialists or collective organizations?
3. The transformations the artifacts go through in the translation and exchange processes. What material changes do heritagized objects and representations have to undergo in order to correspond to local and/or international criteria?
4. The variability of scientific uses of the term “heritage” in academic traditions and the repercussions of this in experts’ practices and in interdisciplinary dialogue.

The symposium is open to all researchers working on the political, cultural, historical and social uses of “heritage”, in a perspective of exchange and interdisciplinary comparison, and able to provide a detailed account of a specific geographical area in order to contribute an element to the group reflection. Working languages will be English, French and Portuguese.

Proposition (250 words, contact details, scientific affiliation and biographical note of 50 words) should be submitted before the 1st of June 2011 to lvh2…@uevora.pt. The results will be made public on the 1st of July 2011.

Keynote Speakers
Crispin Paine, University College London, Great-Britain
Ismail Ali Ahmed El-Fihail, Ministery of Culture, United Arab Emirates
Salia Malé, National Museum, Mali
Organisation committee
Julien Bondaz, Musée du Quai Branly, France
Sylvie Grenet, Ministery of Culture and Communication, France
Cyril Isnart, Cidehus-University of Évora, Portugal
Anais Leblon, University of Aix-Marseille I, France
Maria Cardeira da Silva, FCSH/ Lisbon New University, Portugal
Elsa Peralta, ISC-IL, Portugal
Regina Bendix, University of Gottingen, Germany
Pascale Maizi, Centre Nationale d’Etudes Agronomiques des Régions Chaudes, France

Fees
The price of 150 € includes 3 lunches, 3 dinners, 6 coffee breaks, the guided tour of the historical center of Evora (Unesco World Heritage), Wifi access and documentation. The registration will only be complete once we have received the full registration fee. Cancellation and reimbursement will be possible till 2 months before the congress.

Agenda
1st of June: Dead-line for the proposal
1st of July: List of accepted papers – Call for registration
1st of November: Dead-line registration
15 of November: Final program

More information:
lvh2012@uevora.pt
or Site of the Congress

Seminário « Redes de Museus: Território. Identidade. Património »

mai 17, 2011

Eis mais um seminário para reflectir sobre a necessidade de criar redes de museus, tema recorrente nos últimos meses e que já aqui tivemos oportunidade de referir (ver post).

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, em colaboração com o Departamento de Ciências e Técnicas do Património da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, vai organizar nos próximos dias 20 e 21 de Maio, o Seminário: Rede de Museus – Território. Identidade. Património, que vai decorrer na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão.
Este Seminário contará com as presenças institucionais:
Direcção Regional de Cultura do Norte
Arq. Paula Silva
Direcção Regional de Cultura do Algarve
Drª Dália Paulo
Instituto dos Museus e da Conservação
Dr. João Carlos Brigola
Drª Isabel Victor

A inscrição é gratuita

As inscrições podem ser feitas através do sítio do Município de Vila Nova de Famalicão: http://www.vilanovadefamalicao.org
Ou através dos seguintes contactos:
e-mail: geral@patrimoniodefamalicao.org
Tel: 252 320 954

Programa

Formação, conferências 2011

avril 18, 2011

Começo a semana com notícias sobre algumas conferências e acções de formação a acontecer lá fora e que podem ter interesse para os profissionais e investigadores portugueses.

Curso de verão: “Museum Documentation, Principles and Practice” dado pelo CIDOC – comité do ICOM para a documentação, a realizar-se nos Estados Unidos (25 Junho-1 Julho 2011). Trata-se de uma parceria com o “Museum of Texas Tech University”.
Mais informações:
http://www.open-world.ch/CIDOC/SummerSchool/intro.htm

CALL for Papers, neste caso “speakers” para a conferência anual do Comité de Marketing e Relações Públicas do ICOM (ICOM MPR), que se realiza em Brno, República Checa, entre 17 e 20 de Setembro de 2011. O tema deste ano é “Medir (e promover) os sucesso nos museus”, um tema claramente desafiante nos tempos que correm.
Mais informações:
http://www.mpr.icom.museum/html-files/conferences/speakers-call.htm
www.mpr.icom.museum

«Go International! The Challenge of Creating International Exhibitions» é o tema da conferência anual do ICEE – comité internacional do ICOM ligado às exposições (International Committee for Exhibitions & Exchange). O encontro realiza-se no “Deutsches Historisches Museum”, em Berlim, entre 24-26 de Outubro de 2011.
O programa ainda não está disponível, mas poderá consultar-se o site do comité para acompanhar as notícias sobre o evento:
http://www.ballodora.de/icee/

O comité do ICOM da Rússia está a organizar para este verão (1-8 Junho) um festival internacional de museus, em Moscovo.
“The main aim of the Festival is to integrate into the sphere of humanitarian interaction among CIS countries, to enlarge contacts with international museum community, to create effective dialogue platform for experience exchange and modern museum technologies and management models approbation, to form conditions for young specialists’ joint work, to stimulate their work and maintain youth inter-museum projects.”
Mais informações:
http://home.ease.lsoft.com/scripts/wa.exe?A2=ind1104&L=ICOM-L&F=&S=&P=1863
icom.russia@gmail.com
http://www.icom.org.ru/defengl.asp

A reunião anual do ICOMON (International Committee for Money and Banking Museums) vai ter lugar em Nicosia (Chipre) entre 10 e 13 de Outubro de 2011. O tema é “Money museums communicating with the public”.
Mais informações:
http://www.topkinisis.com/conference/ICOMON/index.html

XII Congreso Internacional sobre Patrimonio Geológico y Minero, 2011

avril 14, 2011

XII Congreso Internacional sobre Patrimonio Geológico y Minero – Sociedad Española para la Defensa del Patrimonio Geológico y Minero

16 SESIÓN CIENTIIFICA DE LA SEDPGYM
VALORIZACIÓN DE ELEMENTOS GEOMINEROS EN CONTEXTO DE LOS GEOPARQUES
Bolta (Huesca), 29 de septiembre al 2 de Octubre de 2011

Mais informações:
http://www.sedpgym.es/index.php?option=com_content&view=article&id=157:xii-congreso-internacional-sobre-patrimonio-geologico-y-minero-&catid=46:congresos&Itemid=77

João Brigola e a « A crise institucional e simbólica do museu na sociedade contemporânea », 29 Março

mars 29, 2011

João Brigola, director do Instituto de Museus e Conservação (IMC), dá hoje uma palestra na Universidade de Lisboa sobre o tema « A crise institucional e simbólica do museu na sociedade contemporânea ». O título convida certamente ao debate, especialmente no momento em que vivemos.

Esta palestra faz parte da iniciativa « Ciclo de Palestras 100 lições » no âmbito das comemorações dos 100 anos da Universidade de Lisboa.
Hoje, além de João Brigola poderá assistir também à palestra de Alexandre Castro Caldas: « O que aprendemos com o cérebro de quem não aprende »

Local: Sala de Conferências da Reitoria da Universidade de Lisboa

18h às 20h

Para quem não possa assistir à palestra de Brigola pode sempre ler o artigo com o mesmo título publicado em 2008 na revista « museologia.pt »*.

Mais informações:
http://centenario.ul.pt
Ulis2011@reitoria.ul.pt

*Brigola, J. C. (2008). « A crise institucional e simbólica do museu nas sociedades contemporâneas. » Museologia.pt(2): 155-162.

CONF: « O papel dos grupos de amigos dos museus e a sua pertinência na actualidade », 26 Março

mars 25, 2011

No próximo dia 26, é já este sábado, está prevista uma conferência no Museu de Cerâmica de Sacavém sobre o papel dos grupos de amigos dos museus. Um dos objectivos deste encontro é a criação de um grupo de amigos para o museu de Sacavém, para além de uma discussão mais alargada sobre a relevância deste tipo de associações nos museus, que é também uma forma de estabelecer uma relação com as comunidades com vista à sua participação. Estarão presentes neste encontro vários representantes de outras associações de museus, para além da directora da Rede portuguesa de Museus, Isabel Victor.

Mais informações aqui

CONF: « Les mesures de soutien au patrimoine immatériel: gouvernements, institutions et municipalités »

mars 15, 2011

Les mesures de soutien au patrimoine immatériel: gouvernements, institutions et municipalités
14-17 avril 2011 | Hôtel Château Laurier
Ville de Québec (QC) Canada

A conferência conta com uma participação portuguesa, Cristina Baptista (membro do conselho administrativo da Fundação INATEL).

Mais informações:
http://patrimoine-immateriel.qc.ca/%20colloque

IX jornadas do ICOM « Museus e Memória », 28 Março

mars 2, 2011

No próximo dia 28 de Março (segunda-feira) terá lugar mais uma edição das jornadas da Comissão Nacional do ICOM, a realizar-se no Museu das Comunicações (Lisboa). Este ano o tema é “Museus e Memória: os objectos contam a vossa história”, uma vez que este é também o tema escolhido pelo ICOM para celebrar o Dia Internacional dos Museus em 2011.

Na sua maioria os conferencistas são já conhecidos entre a comunidade museológica. Jack Lohman, director do Museu de Londres será provavelmente o elemento surpresa deste encontro.

Conheça melhor o Programa

A entrada é livre, mas sujeita ao limite da sala.

Informações e inscrições: info@icom-portugal.org
http://www.icom-portugal.org/

Sobre o tema:

Dia Internacional dos Museus, criado em 1977, visa sensibilizar os públicos sobre o papel dos museus no desenvolvimento da sociedade. Em 2010 participaram na sua comemoração perto de 30 000 museus, através de iniciativas realizadas em mais de 95 países. Para 2011, o ICOM propõe o tema Museu e Memória: os objectos contam a vossa história.

Nos museus, os objectos retêm, activam e transmitem memórias, enquanto expressão do património natural e cultural Implicando um vasto universo de entidades culturais, a memória requer um entendimento holístico e a comunidade museológica deve desenvolver projectos comuns ou em articulação com outras instituições que se ocupam da memória colectiva.

A temática Museu e Memória pode ser abordada sob diferentes vertentes, tais como: a conservação e o acesso aos acervos dos museus; a história dos museus e o tema do museu; a memória esquecida e memória, continuidade e identidade. É este o sentido das jornadas do ICOM Portugal em 2011.

(site ICOM-PT)

« A importância do marketing na promoção dos museus », 21 Março

février 28, 2011

Paço dos Duques, Guimarães, 2010

« A importância no marketing na promoção dos museus » é o título escolhido para uma jornada de trabalho organizada pelo Paço dos Duques, em Guimarães. Realiza-se a 21 de Março de 2011.

O universo da museologia portuguesa sofreu nos últimos anos um grande incremento, assistindo-se por todo o país ao surgimento de unidades museológicas de diversa tipologia, dimensão e de diferentes tutelas.

Esta diversidade de museus não corresponde, na maior parte das vezes, à importância que estes poderão assumir no tecido cultural, económico e social da região onde se encontram inseridos.

Os museus têm de conseguir comunicar com a sua comunidade de base mas, também, com a sua região, com o seu país e com outras dimensões internacionais, vincando a sua importância estratégica na promoção da cultura, na fixação da população e no desenvolvimento económico através da organização de eventos culturais, integrando-se na vida da sua comunidade e divulgando os seus produtos num mercado cada vez mais competitivo, suscitando o interesse e a visita de públicos diferenciados.

A importância que a comunicação e o marketing de museus assumem hoje motivou a que o Paço dos Duques dedicasse a sua jornada de trabalho anual, destinada ao debate de um tema com interesse no âmbito da museologia portuguesa, à Comunicação e ao Marketing de Museus, com uma interligação directa ao sector do Turismo.

No próximo dia 21 de Março de 2011, no Paço dos Duques de Bragança, em Guimarães, gostaríamos de reunir um grupo de pessoas interessadas neste domínio que permitisse um debate enriquecedor e se pudesse traçar linhas de orientação, que dessem um importante contributo, neste domínio para os museus portugueses.

A participação é gratuita, devendo os interessados enviar um e-mail ou fax, com a sua identificação, instituição de origem e contactos (e-mail e telefone) para posteriores informações.

Contacto:
Paço dos Duques
Rua Conde D. Henrique
4810-Guimarães
Tel. 253 412 273
Fax. 253 517 201
E-mail. pduques@imc-ip.pt

PROGRAMA

09h00 – Recepção aos Participantes
09h45 – Abertura
Filipe Serra – Subdiretor do Instituto dos Museus e da Conservação
Teresa Ferreira – Diretora do Departamento de Dinamização do Turismo de Portugal
10h00 – Necessidade de Promoção e de Articulação dos Museus do Norte
António Ponte – Diretor do Paço dos Duques
10h15– Estratégias de Marketing para o Turismo Cultural
Sofia Ferreira – Administradora – Delegada do Touring Cultural & Paisagístico – TPNP
10h 45 – Pausa para Café
11h00 – A Necessidade de Definição de Estratégias de Comunicação e Marketing para os Museus
Maria Vlachou – Museóloga
11h30 – Debate
12h00 – Apresentação dos Grupos de Trabalho
12h30 – 14h30 – Almoço livre
14h30 – 16h00 Grupos de Trabalho
Grupo de Trabalho 1 – Estratégias e Instrumentos de Marketing para Museus
Grupo de Trabalho 2 – O Futuro dos Museus no Turismo Nacional
Grupo de Trabalho 3 – Marketing como via para a sustentabilidade dos Museus
16h00 – Pausa para Café
16h30 – Apresentação dos Resultados dos Grupos de Trabalho
– Debate
17h30 – Encerramento